sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Flagra!


Trate bem a empregada doméstica...

Gretchen



Quem diria, a Gretchen virou garçonete em lanchonete em Orlando, nos Estados Unidos. Segundo Mister Smith, nosso correspondente norte-americano, a especialidade dela é servir hot dogs com os molhos especiais boom boom, piripipi e conga. A salsicha, ao gosto da rainha, é à moda bumbum, quer dizer, pra lá de al dente!


(Fotos: Caras)

Consulado dos EUA no Ceará?


Deu ontem, no portal do Governo do Estado do Ceará:

Cid Gomes recebe nova cônsul dos Estados Unidos no Brasil

Há um mês no Brasil, a nova representante do Consulado dos Estados Unidos no Brasil, Usha Pitts, fez uma visita de cortesia ao governador Cid Gomes, no Palácio da Abolição, nesta quinta-feira (29). 'Eu vim conhecer o Ceará e os projetos de desenvolvimento, sobretudo na área do turismo, que envolve também a Copa do Mundo', ressaltou Usha Pitts. Ela conheceu detalhes do Aquário do Ceará e do estádio Castelão.


Durante a conversa, o Governador destacou a boa relação dos cearenses com os americanos, principalmente pelo fato da Capital, Fortaleza, possuir a menor distância com o país norte-americano entre todas do território nacional. Os Secretários de Turismo, Bismark Maia e Especial da Copa, Ferruccio Feitosa, também acompanharam a visita.”

Olha, não tem quem me convença que o Consulado dos Estados Unidos no Ceará não será em Sobral! E nós já havíamos noticiado no Blog do Laprovitera: Consulado dos EUA no Ceará? Confiram e aguardemos, então.

(Foto: Portal Governo do Ceará)

Cortês, Sideshow Bob?


Eu sabia, que já conhecia o Cortês de algum lugar! Não seria o novo lateral esquerdo da Seleção Brasileira, por acaso, o mesmo Sideshow Bob, da série Os Simpsons?

Sereia de Ouro



Hoje é dia de abraçar o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Valmir Campelo, o artista plástico Luiz Hermano, o empresário Everardo Telles e o jornalista Fernando César Mesquita, agraciados com o Troféu Sereia de Ouro, do Sistema Verdes Mares de Comunicação. 

V TweetFor

Eu vou!

Seu Eliseu


Orós.

Na sua confortável casa de Orós, Seu Eliseu recebia como ninguém. Tinha a simplicidade dos grandes homens e não fazia diferença entre seus tantos amigos, do mais humilde ao mais importante. Foi um grande exemplo.

Pois bem, certa vez, ele estava recebendo uns convidados e pediu para uma novata empregada pegar na geladeira uma garrafa de Coca. A doméstica demorou, demorou e, quando voltou, de mãos vazias, falou para o patrão:

- Seu Eliseu, na geladeira só tem garrafa deitada ou em pé, eu não vi nenhuma de coca, não! 

(Foto: Portal Orós)

O esnobe



Na alvoroçada sala de recepção do gabinete da repartição, o esnobe João chegou todo cheio de nove horas. Sem ter marcado audiência e ostentando intimidade e prestígio com o poder, quis entrar na marra e foi barrado pela secretária.

- Perdão, senhor, mas o Secretário não vai poder atendê-lo.
- Comequié?!
- É que ele está com um pessoal que veio de Brasília.
- Ora, mas quanta bobagem, meu amor! Vá lá e diga para ele que eu vim foi de Mercedes! Se não servir, fale que eu posso vir de BMW!

Leonardo Mota



Sabedor que sou grande admirador da obra de Leonardo Mota, Orlando me presenteou com uma bela coleção de seu avô, editada pelo Banco do Nordeste. Comentando com o Jeremias sobre a alegria de ter recebido tal regalo, dele ouvi:

- Sabia que conheço Leonardo Mota. Ele não começou na Abolição e terminou com Pontes Vieira?
- Não, Jeremias, aí você ta falando é da rua. Leonardo Mota foi um escritor, professor, advogado, promotor de justiça, secretário de governo, tabelião, jornalista, historiador e conferencista do mais alto gabarito.
- Eita diacho, mas era gente demais pruma pessoa só!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Espiral Sentinela



Pra espantar muriçocas, não tinha como a Espiral Sentinela! Era só pegar a bicha, colocar numa lata de doce usada - pra servir de cinzeiro - e tacar fogo nela. Aí, ela acendia, parecia apagar, virava brasa e começava a fumaçar. Queimava à noite todinha, livrando a gente até do zumbido das desgraçadas!

Interessante, era que ninguém reclamava de respirar a danada da fumaça esbranquiçada, que desenhava caracóis pelo escuro do quarto e entupia o nariz de qualquer cristão!

(Foto: Arquivo Aurineide Camurupim)

Flagra!


Câmera escondida flagra empregada doméstica...

Censura?!


Deu n’O Globo: "Governo pede suspensão de propaganda com Gisele Bündchen após receber reclamações."


Sinceramente, eu acho certo a censura à Gisele de calcinha e sutiã. Que ela os tire, imediatamente!

Nomes em São Paulo



Em São Paulo, o povo tem a mania de abreviar os nomes. Se é João é Jô, se é Maria é Má, se é Pedro é Pê, se é Michele é Mi. Se é Carlos, é Cá, se é Vitória é Vi e por aí vai.

Outro dia, um amigo meu que está de mudança para a capital paulista me perguntou como seria chamado pelas bandas de lá. Respondi:

- Sei não, Custódio...

Piada


Totonho, Mino e Guto.

Uma vez ouvi do cartunista Mino que uma música pode ser ouvida várias vezes e tudo bem, ninguém reclama. Já, quando uma piada é contada pela segunda vez, todo mundo diz: “De novo?! Essa é velha!”...

Deve ser porque a razão do riso pela piada vem do inusitado, do inesperado. Por isso, quando sabemos dela o final, ela perde a graça. Já, a música tem a função de catarse, pois desperta e expressa sentimentos que sozinhos não conseguimos acessar. Daí, conseguirmos ouvir repetidamente o que ela tem a nos dizer.

No mais, cá pra nós, tá cada vez mais difícil da gente fazer alguém rir, porque o que não falta é motivo pro povo chorar!

(Foto: Vivi Oliveira)

A brecha


Asclepíades Juremal

"De longe via-se a brecha da moça, na arquibancada do antigo Estádio Presidente Vargas. Discutíamos a cor da calcinha dela e a maioria afirmava que era preta. Daí, um afoito se aproximou e gritou: Né calcinha não, negada, é mosca!" 

Do livro "No tempo do pino", de Asclepíades Juremal.
(Foto: Arquivo da Família Juremal)

Bola de meia


"Em Belém, a Argentina quis Pará o Brasil. Não conseguiu".

(Foto: Uol)

As coelhinhas da Playboy



Alexandre Figueiredo:
Essas coelhinhas já deram muito o que falar
Essa é a foto principal da Playboy de fevereiro de 1963.
Kiko, meu irmão, guardava as dele entre o colchão e o estrado, em Sobral. Anos depois, quando na mudança para Fortaleza, as revistas foram achadas já muito ‘usadas’. Eram uma boa ‘leitura’ de banheiro.

Gera Teixeira: Alexandre, dizem que a revista Quatro Rodas conjugava com a Playboy. Era primeiro o convite para dá uma voltinha no carrão. O Totonho conta direitinho.

Alexandre Figueiredo: Bem, meu amigo Gera, como se dizia na época, nada como um carro conversível e uma garota conversável! RS

Acompanhando essa conversa do Alex com o Gera, dentre outros, no FB, lembrei do mantra dos solitários adolescentes : “Coro vai, coro vem, os calangos da parede não contam nada a ninguém...”

(Foto: Revista Life)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Cuidado!



“Se alguém te oferecer uns óculos sem lentes, cuidado! Pode ser uma armação!” (Laélio Júnior)

Ô besteira!

Deu na net:

Roque em Rio.

Galeria


Totonho Laprovitera - Musa solitária - 2006 - AST - 40 x 50 cm.

Da minha exposição Musas, no Ideal Clube, Fortaleza-CE, em 2006.

Cine-Teatro Majestic


O Majestic pegando fogo.

E o Victor Bayma nos conta que, inaugurado em 1955, o Cine-Teatro Majestic era o paraíso dos amantes da cinematografia, em Fortaleza. Em 1955, apesar do combate dos bombeiros, foi devastado em poucos minutos por um incêndio.

(Foto: Acervo Aba Film)

Simplesmente, Pompeuzinho


Pompeuzinho.

Pompeu Vasconcelos ou, simplesmente, Pompeuzinho, me foi um grande amigo. Semanalmente, em seu escritório da Ego, tínhamos o hábito de nos reunir para um café com pão à tarde, quando conversávamos sobre diversas amenidades e, de quebra, ainda mangávamos do povo que lá trabalhava.

Com o bom humor da sua farta inteligência, conquistava todo mundo! A sua competência advinha da sua vocação para o sucesso. Enquanto médico, fez da medicina o seu sacerdócio. Enquanto empresário, foi um Midas nos negócios da sua empresa.

Tinha o dom de se comunicar tão facilmente, chega, certa vez, me contou três novidades no intervalo de um sinal de trânsito, emparelhado, entre o abrir do vermelho pro verde.

Outra vez, quando estimei um imóvel dele em 80 mil, lá no Cumbuco, ele me convenceu que valia 120 mil e alguma coisa, para logo em seguida me dizer que não daria por ele nem 20! Era um gozador.

Numa das nossas últimas conversas, me pediu para eu arranjar um emprego para alguém dele, já ditando qual a avolumada quantia salarial. Respondi: “Amigo, se eu souber da disponibilidade de um emprego com um salário desse, tenha a certeza, ele será é meu!” - Rimos.

Ter sido amigo do Pompeuzim, para mim, é mesmo que ter tirado um diploma de ser feliz.

A cartela



E o Júnior, do Good Garden, diz que tem um amigo na seguinte situação em casa: A patroa conseguiu uma bolachinha de rodízio de churrascaria, daquelas que do lado verde tem escrito “Sim” e no vermelho “Não, obrigado”. Daí, ela a colocou na cabeceira da cama para sinalizá-lo quando da possibilidade do casal fazer ou não amor.

Ultimamente, ele queixa-se da cartela estar sempre no “Não, obrigado”... 

Os óculos


Amigo Totonho,

Lendo uma postagem em que você falava dos óculos de Dona Chaquinha de Orós, me lembrei de uma passada aqui em Aracati, ao tempo do saudoso prefeito Zé Hamilton. Se servir, aproveita!

Antero Pereira Filho.


Anterinho, conte!

Anterinho e Totonho.


Os óculos

Uma senhora do Bairro de Fátima, conhecida como Tereza Fardada, acabara de se consultar com o  médico de vista - oftalmologista - e se dirigiu para a prefeitura como era de costume, com a receita dos óculos.

Ao chegar a prefeitura, foi direto ao gabinete do Prefeito onde foi recebida por uma secretária.

- Diga minha senhora? - Indagou a secretária.
- Eu queria falar com Doutor Zé Hamilton. Pedir para ele me dar meus óculos.
- Minha senhora! A senhora não sabe que a política do Doutor Zé Hamilton é diferente dos outros?  Doutor Zé Hamilton não dá óculos. Doutor Zé Hamilton faz estradas, escolas, energia, asfalto. A senhora não tá vendo, não?
- Como eu posso ver, se a senhora tá dizendo que ele não dá óculos. Como é que eu vou puder ver enxergar sem os óculos?

(Foto: Alberto Pinho)


O Primo


O Primo, no sinal do cruzamento das ruas Torres Câmara e Tibúrcio Cavalcante.

O Primo é uma curiosa figura que perambula pelas bandas da Aldeota. Mora com a mãe, nas proximidades do Terminal do Mucuripe, com quem cria um menino que é o seu maior mimo.

Uma blond socialite de Fortaleza é a sua musa que, por sinal, lhe dá uma mesada. Certa vez, ele solicitou um aumento da quantia e ela o negou. Ameaçada de ter a idade revelada, a blond cedeu à reivindicação.

Todo os dias ele vai à Capela do Hospital Militar para angariar caridades. Noutro dia foi um vexame só, pois bem na hora da missa começar, uma chique madame teve uma dor de barriga daquelas de chicote e, agoniada pelo aperreio das tripas, emporcalhou o banheiro da Capela todinho. O padre, aflito, convocou o humilde Primo para realizar a limpeza do sanitário, na condição dela recompensar-lhe com uma gorda gorjeta. Feito o serviço e o ajuste com a madame, ele comentou com a arrastada voz nasalada:

- Padre, nunca vi uma madame pra obrar tão fedorento! E, ainda mais, só me deu 1 couro de rato...

Em tempo: 1 couro de rato significa 1 real.

(Fotos: Totonho Laprovitera)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

O grito do V TweetFor

video

No grito, Tarzan avisa que o V TweetFor tá chegando.

Doe de coração

JF.

"Bom dia,

 

Hoje é o Dia Nacional do Doador de Órgãos e gostaria de agradecer, especialmente, a todos meus amigos que juntos deram o melhor de si nessa 
campanha pela vida em que 
Deus nos privilegiou com meu Jotinha de volta 
à vida.
 Obrigada por todas as orações, apoio e ajudas.


Quando se doa, doa a alguém e não importa para quem seja. 

Peço que todos 
divulguem esse site, onde consta um texto explicativo sobre a doação de 
órgãos: www.doevida.org.br
Entrem no link e saibam mais sobre doação de órgãos.



Um grande beijo a todos

.

Em anexo, a foto do JF.



Fabi"

Em tempo: A carta da Fabi e a foto do JF foram autorizadas pela família para serem publicadas nesta postagem.

Acariciando a perereca

video

Repassando do Carlos Augusto de Moraes, como acariciar corretamente uma perereca.

Muros de Sobral


Seu Hugo.

Conversei com o Seu Hugo Cavalcante e ele me falou que o Muro das Lamentações, criado pelo vereador Rodolfo Basílio, não é o primeiro a dar o que falar em Sobral.

Há muito tempo, lembra, existiu o Muro das Gozações, onde os adolescentes da cidade gracejavam as suas tentações.

Roubaram a bicicloteca


Robson Mendonça e sua bicicloteca.

Li na Folha de São Paulo, que uma bicicleta equipada com um baú atrás com centenas de livro dentro, foi roubada na última quarta-feira na praça do Patriarca, no centro de São Paulo.

Seu proprietário, o ex-morador de rua Robson Mendonça, 60, que dirige uma ONG para pessoas das ruas, desabafa: "Nem é pelo dinheiro, é pelo valor do trabalho com a comunidade. Todo mundo já conhecia, o pessoal chegava a retirar uns 100 livros por dia, depois todos devolviam e pegavam outros".

No baú, com cerca de 200 livros doados, tinha títulos de Truman Capote, Lima Barreto e Graciliano Ramos, entre outros.

Para quem achar a bicicloteca, o bibliófilo Zé Gaguim, do Bairro Jardim Guanabara, em Fortaleza, premiará com a audição de uma leitura sua do livro Mahabarata, com cerca de 432 páginas.

(Foto: Alessandro Shinoda)

Uma história em quatro fotos!



Dando asas à imaginação dos nossos leitores, nessa sequência de quatro fotos do Zé Carlos, que tal criarmos uma história em breves legendas?

No aguardo, então.

(Fotos: Arquivo Zé Carlos Mororó)

Até a tampa


Recebi do Alexandre Figueiredo esta interessante mensagem:

“Totonho,

Encontrei essa matéria interessante no site do jornal The Telegraph, traduzi com o Google Translator.


A artista Mary Ellen Croteau estava trabalhando em uma obra de arte que envolve tampas de garrafas de plástico, criando altas cadeias intermináveis amarradas verticalmente em colunas coloridas. Ela repetidamente reparou como algumas das tampas se encaixam perfeitamente uma dentro da outra, criando novas combinações de cores semelhantes aos retratos de Chuck Close. Inspirada, ela embarcou na criação do seu auto-retrato, usando as cores que 'naturalmente' aparecem nas tampas dos frascos plásticos. Este trabalho foi apresentado por John Mangahas como parte do Concurso do Curatorial Awesomness que foi realizado na semana passada no Facebook.”


Amigo Alex, aí a gente diz que a Mary Ellen Croteau é artista até a tampa!

(Fotos: Divulgação)