domingo, 31 de março de 2013

Personalidades do cinema

Coppola, Allen e Scorsese.

A foto acima reúne três personalidades do cinema mundial: Francis Ford Coppola, Woody Allen e Martin Scorsese.

Bosco.

Agora, na esquina do Vaval, há quem diga que o cidadão da foto não é o Scorsese, não. É, na verdade, o famoso João Bosco Maia Martins, quando das suas incursões no cinema falado norte-americano!

(Fotos: Google)

sábado, 30 de março de 2013

Ensaio no Teatro da Emcetur


A foto acima retrata o ensaio com Mona Gadelha, Ronald Carvalho, Ricardo Veloso e Siegbert Franklin para show no Teatro Carlos Câmara (da Emcetur), em Fortaleza, nos anos 1970.

(Foto: Acervo Mona Gadelha)

sexta-feira, 29 de março de 2013

Pescador de sonhos


Pescador de sonhos
(Totonho Laprovitera)

Sou pescador de sonhos 
nos mares das paixões, 
sou caçador ferido 
por pássaro perdido 
Sou viajante errante, 
sou cantador e cego, 
não vejo a luz do dia, 
nem a lua, nem estrelas 

Mas, imagino a tua imagem, 
teu rosto jovem e puro, 
e do escuro tua beleza 
que me faz enxergar!

(Foto: Totonho Laprovitera)

quinta-feira, 28 de março de 2013

quarta-feira, 27 de março de 2013

Em falta



Assisti em um documentário da televisão que, na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, quem fosse apanhado contando a seguinte graça era, certamente, preso!

- Camarada, por favor, um litro de leite.
- Desculpe, camarada, mas a loja que falta leite é a do outro lado da rua. Aqui é a loja que falta carne.

(Foto: Gppgle)

terça-feira, 26 de março de 2013

A vitória militar da vodka

A Vodka teria protegido a Rússia na vitória contra os alemães. 


Em 1943, em tempo anterior ao ataque da União Soviética em Staligrando, o marechal russo Georgui Jukov participou a Stalin que, como as tropas não possuíam anticongelante suficiente, a vodka estava sendo usada para evitar que a água dos radiadores congelasse. 

Com o acréscimo do uso de vodka para os carros, então, Stalin cortou a distribuição da bebida para os soldados do combate, que era de 100 ml diários. Ao mesmo tempo, o líder soviético recompensou os melhores soldados com 200 ml de vodka por dia. 

(Foto: Google)

segunda-feira, 25 de março de 2013

Cara ou coroa

Essa quem me contou foi o Billy Mello.


Um madurão, na faixa dos 63 anos de idade, boa pinta e bom de bolso, saiu com aquela gata escultural de 25 anos e a levou a um restaurante 5 estrelas, depois a uma boate, também de primeira, e acabaramm no melhor motel da cidade, um duplex com piscina, hidro e solarium. 

Ele já tinha dado a ela, antes, claro, um lindo anel de ouro branco com diamantes, e um vestido de grife italiana. Descansando, dando um tapa no whisky 12 anos, ela se aconchegou nele e perguntou: 

- Benzinho, eu estou saindo muito cara pra você? 

E ele respondeu na hora: 

- Meu amor, na minha idade não tem jeito: ou é cara ou é coroa!

domingo, 24 de março de 2013

Ô conforto


A gente sabe que o ato de consolar convém para aliviar a aflição e a contrariedade de alguém. Ou seja, abreviando, é o conforto dos macambúzios!


Pois bem, recentemente, eu fui acometido de um mal da vista, o que muito me preocupou. Começou com aparições de umas moscas volantes, pernas de aranha, nódoas ameboides com pontos negros, mácula escura, flashes e coisa e tal. Precavido, meti o pé na carreira ao Doutor Igo Enomoto, meu médico, e, diagnosticado o descolamento de retina, fui operado de emergência. Na convalescência, o que mais me incomodou foi dormir de bruços, com a cabeça posta bem para baixo. Uma agonia para quem tem facilidade de entupir o nariz. No repouso, nada de ler, assistir televisão e usar o computador. Quer dizer, fiquei meio que desplugado do universo cibernético. Restou-me o bom hábito de ouvir música, programas de rádio – AM, que dou o maior valor – e conversar ao telefone – o que não gosto de fazer.

Totonho Laprovitera e Chico Pio.

Em um dos meus primeiros dias de repouso, tocou o telefone e era o meu amigo Chico Pio, meu parceiro em tantas músicas. Ele, também convalescendo de uma cirurgia de vesícula, ligou para me confortar.

- Paizim, sabe o que é isso?
- Não, Chico...
- É pra gente pensar o que de bom uma vida saudável nos tem a oferecer...
- É?
- É! Pra a gente cultivar bons hábitos e melhorar as amizades...
- Quais amizades?
- Por exemplo, tem um ali, que não vou nem citar o nome, porque você sabe quem é, que eu quero é distância! O cara só traz coisa ruim pra gente... É muita energia negativa...
- E é?
- É, e fica se fazendo de todo bonzinho... Mas, tem nada não, a gente se protege com orações, fé em Deus, e reage!
- Tem rezado muito, Chico?
- Papai, é o que mais tenho feito pra me recuperar da operação.
- Você passou por maus momentos, não foi?
- Foi, mas aprendi! Fui beber o litro de uísque todinho, que o Chiquinho me deu, exagerei no tira-gosto de feijão, lá do Docentes, taí, deu no que deu!
- Mas, você tá melhor.
- Tô, na medida do possível. Já estou até fazendo umas caminhadas pelo corredor do prédio, praticando umas flexões, uns movimentos de karatê...
- De karatê?
- É, paizinho, eu já estudei karatê...
- Não sabia...
- Pois é... E a sua vista?
- Chico, eu ainda não estou enxergando direito, não...
- Mas, não se preocupe!
- Não, né?
- Não! Olhe, Patativa do Assaré, nosso poeta maior, ficou cego e, nem por isso, nunca deixou de escrever!
- Égua, Chico!
- E Luiz Gonzaga, o grande Rei do Baião, você pensa que ele enxergava direito? Era ceguim, ceguim!
- Amigo, respeite o conforto!

(Fotos: Totonho Laprovitera)

terça-feira, 5 de março de 2013

Copa 2014

Deu no Uol: "Copa do Mundo incentiva migração de prostitutas para São Paulo em 2014

Cidade de São Paulo deverá receber número maior de prostitutas em 2014.

Sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, São Paulo deve receber mais de 500 mil pessoas no mês do Mundial. São esperados torcedores, jornalistas, comerciantes, além das próprias seleções que disputarão o torneio. Mas a capital paulista também contará com um fluxo bem maior de profissionais de outro ramo: a prostituição. A expectativa do aumento no turismo sexual durante o evento chamou a atenção de diversas acompanhantes do interior e de fora do Estado, que se preparam para visitar e ter um período lucrativo na capital paulista no ano que vem.

A movimentação para a Copa despertou o interesse de garotas dos mais diversos estilos, sejam acompanhantes de luxo que cobram R$ 800 por programa ou meninas mais simples, que pedem R$ 50 por relação. A capixaba Brenda, por exemplo, é uma das prostitutas que já tem até flat reservado para vir com um grupo de nove garotas de Vitória, somente para o mês do Mundial. Além disso, elas planejam criar um blog em inglês para divulgar seus serviços.

'Vamos alugar três flats e contratar até motorista para buscar os clientes no hotel, se precisarem. O programa por aqui (Vitória) sai por volta de R$ 150, mas podemos cobrar até três vezes mais na Copa. A procura será absurda, mais do que em qualquer outro evento', destacou a jovem de 20 anos em entrevista por telefone.

A bauruense Juliana é outra profissional do sexo que viajará com um grupo de amigas para São Paulo durante a Copa. Mas ao contrário da capixaba, ela tem ambições bem mais simples e ainda não tem ideia de onde irá trabalhar durante os jogos. 

Juliana cobra R$ 50 reais por programa no interior, mas é obrigada a dividir os lucros com a casa em que trabalha. A acompanhante de 24 anos afirma que não terá nenhuma condição de investir em planos mirabolantes na capital do Estado e que, por isso, não vai nem procurar um local para ficar quando o torneio se aproximar. 

'Vamos chegar e ir para a [rua] Augusta mesmo. Sei que o pessoal todo vai para lá. Só não me pergunte aonde vamos dormir, isso a gente vê quando chegar. Mas já pensou se consigo sair com um jogador? Faço de tudo pra ele casar comigo e me tirar daqui! Já pensou se eu consigo?', sonhou.

Vale lembrar que São Paulo é uma cidade acostumada a receber grandes eventos, como a Fórmula 1 e convenções internacionais. Porém, a expectativa entre as profissionais do turismo sexual é que a Copa do Mundo ultrapasse de longe qualquer um destes acontecimentos graças à maior importância e exposição dos jogos, além de acontecer ao longo de um mês, período maior do que qualquer outro evento deste porte no país.

Estudante de odontologia no Paraná, Karina também visitará São Paulo exclusivamente para a Copa do Mundo. Mas ao contrário das outras duas acompanhantes, ela já fechou um programa fixo de duas semanas com um empresário alemão que estará na cidade para o Mundial.

Experiente em viagens internacionais ao lado dos clientes, a paranaense embolsará nada menos do que R$ 10 mil para dar atendimento exclusivo ao alemão, além de ter todas as suas despesas pagas.

'Ele virá para trabalhar nas duas primeiras semanas da Copa e depois deve viajar para acompanhar a Alemanha. Só fechamos o primeiro período, por enquanto. Se não der certo o resto, ficarei em São Paulo até o fim fazendo programas, já tenho flat disponível para mim', afirmou Karina.

Mas não são apenas as acompanhantes em si que estão se preparando para a movimentação durante a Copa. Algumas das casas de prostituição mais conhecidas da capital também estão investindo em infraestrutura e buscando a contratação de profissionais que falam inglês e espanhol.

É o caso de uma casa de massagem próxima ao aeroporto de Congonhas, que irá disponibilizar até 50% a mais de garotas para a clientela durante o evento. Além disso, a casa também contará com uma limousine para buscar os interessados nos hotéis no ano que vem.

'O importante é ter uma boa comunicação com os hotéis, pois são eles que nos indicam para os hóspedes. Já temos uma boa experiência pela Fórmula 1 e Indy, mas na Copa tudo deve ser maior. Por isso, vamos selecionar várias garotas de fora de São Paulo para podermos atender a todos', ponderou o gerente da casa."

(Foto: Rogério Cassimiro/Folha Imagem)

segunda-feira, 4 de março de 2013

domingo, 3 de março de 2013

Tricolor de Aço

Fortaleza Esporte Clube, campeão do Nordestão de 1970.

Da esquerda pra direita. Em pé: Cícero, Pedro Basílio, Zé Paulo, Wilkson, Joãozinho e Louro. Agachados: Nado, Rubem Salim, Erandir, Chinezinho e Mimi.

(Foto: Google)

Zé da Glória

Escreve-nos o meu velho amigo Paulo Teixeira: 

Zé da Glória, ou seja, Doutor José de Oliveira e Silva.

"Totonho Laprovitera, quando voltar para Fortaleza te mandarei uma foto histórica da Big Band tocando no Estoril, e vou tentar conseguir o CD da Dona Mazé, de Jucás , terra de meu pai, onde ela gravou algumas de suas músicas assinadas como Zé da Glória. Dona Mazé gravou com idade avançada, mas era uma virtuosa autodidata em bandolins. 

Big Band, no Estoril, em Fortaleza.

Aliás, são os únicos registros que possuo de suas músicas. Certa feita, eu tinha uns 8 pra 9 anos, meu pai foi a casa do pai do Claudio Bananinha, ali na Dom Luiz, esquina com Joaquim Nabuco, pois o Chico Anysio estava lá hospedado. Fomos a seu encontro para levá-lo partituras que ele houvera prometido entregá-las ao Maestro Cipó. Tem uma história interessante, já contada pelo Neno Cavalcante, muito triste e pitoresca. Quando meu pai morreu, minha mãe resolveu doar sua biblioteca. Ele era juiz e gostava muito de estudar leis de vários países, ia a biblioteca pública e, aposentado, possuía um grande escritório na Barão do Rio Branco, próximo ao fórum antigo. Feita a seleção e separado objetos pessoais, pediu um caminhão de frete que levasse o que ficou para nosso sítio. Lá, morava uma antiga funcionária, desde a época de meu avô, que tinha o hábito de fumar cachimbo, com fumo brabo. Pois bem, passados alguns dias fomos ao sítio para procurar algumas coisas que deveriam ficar em nossa casa, principalmente as folhas de partituras das músicas compostas por meu pai. Em lá chegado, perguntamos : - Dedé, você não viu uma partituras? Ela respondeu - Sei que é isso não, meu fi, como eh? São folhas com várias linha e uns desenhos assim (e desenhei uma notas). Ela : - Vixe, meu filho, era importante? Pois usei um monte pra acender meu cachimbo, pois as bichas eram durinha e demorava a apagar segurando o fogo até o fumo abrasar. E, assim, muitas das músicas de meu pai ficaram inéditas."

(Fotos: Acervo Paulo Teixeira)

sábado, 2 de março de 2013

Raimundo Fagner

video

Enviado pelo Billy Mello.

Preocupação


Encontrei escrito em um bilhete amassado que ao vento rolava pela praça: "Se a preocupação é uma ave que pousa em nossas cabeças, tenhamos cuidado para que ela não faça seu ninho".

(Foto: Google)

sexta-feira, 1 de março de 2013

MAR - Museu de Arte do Rio


Está sendo inaugurado hoje (01/03/2013), o Museu de Arte do Rio. O projeto é uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro e da Fundação Roberto Marinho, com a Vale e as Organizações Globo como Patrocinadoras e o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O lançamento do MAR representa um dos marcos do Porto Maravilha, projeto da Prefeitura de revitalização da zona portuária do Rio, com investimentos também da iniciativa privada. 

Yuri Firmeza | Da série Ação 3, 2006. Fotografia | 90 x 68 cm | Coleção do artista.

Exposição
O abrigo e o terreno
arte e sociedade no Brasil

1º de março a 14 de julho de 2013​.
térreo

CuradoriaPaulo Herkenhoff e Clarissa Diniz.

O abrigo e o terreno inaugura o projeto Arte e sociedade no Brasil, dedicado à atuação da arte brasileira no campo da alteridade e das relações sociais. A exposição reúne artistas e iniciativas de diversas regiões em torno de uma questão que – dadas as reformas urbanísticas que hoje transfiguram o Brasil, principalmente o Rio de Janeiro – se faz especialmente urgente: as concepções de cidade e as forças que se aliam e se conflitam nas transformações urbanísticas, sociais e culturais do espaço público/privado. Entrecruzando distintos horizontes políticos e estéticos – como a ideia de cidade do homem nu de Flávio de Carvalho (1930), a constatação de uma cidade de casas fracas (Clarice Lispector em O Mineirinho, 1962), o projeto de urbanização da favela Brás de Pina (escritório Quadra, década de 1960) ou a atuação de artistas (2003-2007) na Ocupação Prestes Maia, em São Paulo –, a mostra problematiza a propriedade, a posse e o usufruto dos espaços sociais – o terreno – e os modos como produzem política e subjetividade, do direito à habitação ao desejo de abrigo. Concebida como um laboratório de diálogos e antagonismos que percorre o século XX e invade a contemporaneidade, O abrigo e o terreno inclui ainda uma programação de atividades com intervenções, debates, palestras e publicações. 

Artistas participantes: Adriana Varejão | Adir Botelho | Artur Barrio | André Komatsu | Anna Maria Maiolino | Antonio Dias | Antonio Manuel | Ascânio MMM | Bispo do Rosário | Carlos Nelson Ferreira dos Santos (Quadra Arquitetos Associados) | Cildo Meireles | Clarice Lispector | Cláudia Andujar | Dulcinéia Catadora | E/Ou | Emanuel Nassar | Ernesto Neto | Flávio de Carvalho | Graziela Kunsch | Guy Veloso | Hélio Oiticica | Ivens Machado | Jorge Mario Jáuregui | José Bechara | Lasar Segall | Lino |Lívia Flores | Lotes Vagos | Lúcia Laguna | Lucia Koch | Lygia Pape | Marcio Almeida | Marepe | Maria do Carmo Secco | Miguel Rio Branco | Milton Machado | Mira Schendel | Montez Magno | Morrinho | Opavivará! | Paula Trope | Poética do Dissenso | Pierre Verger | Raul Mourão | Roberto Magalhães | Rochelle Costi | Rosana Palazyan | Rubens Gerchman | Sergio Magalhães | Usina | Walter Carvalho | Waltercio Caldas | ​Walter Firmo | Yuri Firmeza.

Aberto ao público dia 5 de março 
MAR 
Praça Mauá 20090-060 | Rio de de Janeiro – RJ [21] 2203-1235 
Visitação: ter – sex > 10-17h; sáb, dom e feriados > 10-17h