segunda-feira, 31 de março de 2014

O tal do Cromossomo X

Eva e Adão.

Na Escrita Sagrada, em seu sexto Dia da Criação, Deus fez o homem e a mulher, disse “ide e povoai a Terra“, e descansou no sábado. Bem, depois disso, sobre a história de Adão e Eva todo mundo conhece.

Segundo o professor Carlinhos Analfabético, “por meio do estudo do Cromossomo X, confirmou-se que a mulher não nasceu do homem, mas, sim, o homem que nasceu dela, cerca de uns 140 mil anos após da primeira Eva mitocondrial. Logo, o macho só apareceu milhares de anos depois que a fêmea passou a guardar os ovos em seu próprio corpo, para resguardá-los das intempéries”.

E continua: “Primeiramente, a vida ignorava a diferença entre o feminino e o masculino, pois para acolher os genes alheios, a célula se fazia fêmea e, ao entranhar-se em outra para introduzir o seu material genético, fazia-se macho.

Agora, uma das provas da origem feminina do homem é o fato dele ter 2 mamilos, sem nenhuma utilidade, porquanto os genes do sexo só se especializaram com o tempo e a evolução pelo que sobrevieram”.

E conclui: “Pois é, o embrião humano não tem uma definição de sexo. Principia como feminino e, em seu desenvolvimento, continua assim ou passa a ser masculino”.

(Imagem: Google)

Arte Zen de cavalgar

Na Fazenda Cachoeira das Moças, em Forquilha, por volta de 1997, Fernandão Câmara registrou este instantâneo fotográfico, onde o Amaro Penna demonstra a sua arte Zen de cavalgar!

Dizem que foi o Peninha quem ensinou o John Wayne a correr vaquejada!

(Foto: Fernando Câmara)

domingo, 30 de março de 2014

As irmãs galinhas


Balançando a sua dose de cuba libre, só na paquera, Valtinho passeava pra cima e pra baixo na tertúlia do Ideal Clube. Conversador inveterado, encostou-se em uma animada turma que batia o maior papo sobre as meninas danadas daquela festa.

- Tá vendo aquela alí? Perguntou Valtinho.
- Sim, o que é que tem com ela? Retrucou o mais parrudo deles.
- É a maior galinha!
- Galinha?! Respeita as caras que ela é minha irmã, porra!
- Rapaz, a que eu tô falando não é a da esquerda, não... É a da direita!
- Também é minha irmã, carai!

Valtinho sacudiu o copo no maior tilintar de gelo, deu um grande gole, respirou fundo e disse:

- Pois é, meu amigo, a minha vai no mesmo caminho!

Gestão Estratégica - 7ª Aula


Conclusão.

Antes de falar, escute...
Antes de escrever, pense...
Antes de gastar, ganhe...
Antes de julgar, espere...
Antes de desistir, tente...


“No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é, e outras, que vão te odiar pelo mesmo motivo.” (Autor desconhecido, mas esperto)

(Foto: Google)

O vizinho espião

Norman Mailer.

Quando o escritor estadunidense Norman Kingsley Mailer (1923-2007), premiado duas vezes com o Prêmio Pulitzer, começou a escrever Barbary Shore, não havia planos de ter um espião russo como personagem.

Enquanto trabalhava no romance, Mailer inseriu o espião russo em terras norte-americanas como um personagem menor, porém, quando o trabalho se desenvolveu, o espião tornou-se protagonista da história.

Coronel Rudolf Abel.

Após a conclusão do romance, o Serviço de Imigração dos EUA prendeu um homem que morava no andar de cima, no mesmo prédio do escritor. Ele era o Coronel Rudolf Abel, acusado de ser espião da Rússia nos Estados Unidos.

(Foto: Google)

sábado, 29 de março de 2014

O Rei da Friboi

Roberto Carlos sendo coroado por sua mãe, Lady Laura, O Rei da Jovem Guarda no programa do Chacrinha, em 1966.

Os fatos não são recentes, mas, Roberto Carlos continua rendendo polêmicas. Depois das suas patéticas declarações na questão das biografias não autorizadas, o Rei apareceu em um comercial comendo carne, apesar de se dizer vegetariano há anos. Quer dizer, ele voltou a comer carne vermelha, desde que seja da Friboi. Nada demais, se há muito ele não viesse apontando os malefícios da carne vermelha e a crueldade no abate de animais.

Tudo bem, para quem já teve a música “O Portão” usada para vender cigarros Continental, em 1976, agora escolhida para a trilha sonora do regresso de Roberto ao suculento universo da carne vermelha.

De bobo da corte, o Rei não tem nada. Prefere o corte da Friboi.
 
Em tempo: Roberto Carlos se apresenta em Fortaleza no dia 5 de abril, mês do seu aniversário, na Arena Castelão.

(Foto: Google)

Gestão Estratégica - 6ª Aula


Um fazendeiro resolveu colher algumas frutas em sua propriedade. Pegou um balde vazio e seguiu rumo às árvores frutíferas. No caminho, ao passar por uma lagoa, ouviu vozes femininas e achou que, provavelmente, algumas mulheres haviam invadido suas terras. Ao se aproximar, lentamente, observou várias belas garotas nuas se banhando na lagoa. Quando elas perceberam a sua presença, nadaram até a parte mais profunda da lagoa e gritaram:

- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.

O fazendeiro respondeu:

- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!

Conclusão: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.


(Foto: Google)

O tempo

 A persistência da Memória, de Salvador Dalí.

Eu entendo o tempo como uma das maiores riquezas que uma civilização possa ter. Quem de sobra o tem, seguramente, se oportuniza a singrar eras de existência.

Pois é, no dia em que a humanidade entender o tempo, de fato, ela avançará na compreensão de seus significados e encontrará a sua verdadeira razão de viver.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Gestão Estratégica - 5ª Aula


Um homem entrou no chuveiro, enquanto sua mulher acabava de sair e já se enxugava. A campainha da porta tocou. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta, a mulher desistiu, se enrolou na toalha e desceu as escadas. Quando ela abriu a porta, viu o vizinho Nestor em pé na soleira. Antes que ela pudesse dizer qualquer coisa, Nestor falou:

- Eu lhe dou 3 mil reais se você deixar cair esta toalha!
 
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixou a toalha cair e ficou nua. Nestor então entregou a ela os 3 mil reais prometidos e foi embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrolou de novo na toalha e voltou para o quarto. Quando ela entrou no quarto, do chuveiro o marido gritou:
 
- Quem era?!
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3 mil reais que ele estava me devendo?

Conclusão: Se você compartilha informações a tempo, você pode prevenir exposições desnecessárias.


(Imagem: Google)

Linguiça calabresa


Segundo a Instrução Normativa N.º 4/2000 do Ministério da Agricultura, que determina a classificação em algumas variedades de linguiça, a calabresa é definida como "produto obtido exclusivamente de carnes suína, curado, adicionado de ingredientes, devendo ter o sabor picante característico da pimenta calabresa submetidas ou não ao processo de estufagem ou similar para desidratação e ou cozimento, sendo o processo de defumação opcional".

(Foto: Google)

quinta-feira, 27 de março de 2014

Gestão Estratégica - 4ª Aula

 
Um padre estava dirigindo por uma estrada quando viu uma freira em pé, no acostamento. Ele parou, ofereceu uma carona e a freira aceitou. Ela entrou no carro, cruzou as pernas, revelando a sua linda anatomia. Descontrolado, o padre quase bateu com o carro. Depois de conseguir evitar o acidente, ele não resistiu e colocou a mão na perna da freira. Ela olhou para ele e disse:

- Padre, lembre-se do Salmo 129!
- Desculpe, Irmã, a carne é fraca... E tirou a mão da perna da freira.
- Padre, lembre-se do Salmo 129! Repetiu a freira.

Chegando ao seu destino, a freira agradeceu e, com um sorriso enigmático, desceu do carro e entrou no convento. Assim que chegou à igreja, o padre correu para as Escrituras e leu o Salmo 129: “Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso”.

Conclusão: Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, você pode perder excelentes oportunidades.

(Imagem: Google)

Braça

A braça, uma antiga medida de comprimento equivalente a 2,2 metros, ainda é bastante usada por muitos trabalhadores rurais e outras pessoas do meio.

O conjunto de 3 mil braças forma 1 légua. Uma área de 30 x 30 braças é chamada de braça quadrada ou tarefa.

(Foto: Google)

quarta-feira, 26 de março de 2014

Gestão Estratégica - 3ª Aula


Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e, na rua, encontram uma antiga lâmpada mágica.
Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio.
O gênio diz:
- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro, grita um dos funcionários! Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida... Puff e ele foi.
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pina coladas! Puff, e ele se foi.
Agora você, diz o gênio para o gerente.
- Eu quero aqueles dois folgados de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!

Conclusão: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.


(Foto: Google)

Cócoras

Há quem ache estranho o hábito de ficar de cócoras. Mas, para quem o pratica, qualquer motivo é suficiente para se abaixar e ficar naquela posição típica, principalmente, quando é para descansar.

Para treinar, primeiro, tente ficar de cócoras com a sola dos pés totalmente em contato com o chão, como é a prática dos chineses. Depois, fique de cócoras nas pontas dos pés, o que dá mais estabilidade, até que os joelhos comecem a doer.
(Foto: Google)

terça-feira, 25 de março de 2014

Gestão Estratégica - 2ª Aula


Na África todas as manhãs o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão, se quiser se manter vivo.

Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais que o veadinho, se não quiser morrer de fome.

Conclusão: Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer você tem que começar a correr.


(Ilustração: Google)

Enforcamento


O último enforcamento no Brasil ocorreu com a pena de morte executada contra um escravo, na cidade do Pilar, em Alagoas, no ano de 1874. Curiosamente, o imperador Pedro II resolveu impor o castigo mais por uma questão de favor político do que pelo crime em si que havia ocorrido.

Pois bem, naquela época, dois amigos se encontraram:

- Ô Prudêncio!
- Ô, Augusto, há quanto tempo!
- Prezado, como anda o nosso amigo Vicente?
- Meu caro, você não sabe a desventura que ocorreu com ele?
- Não, qual?!
- O Vicente foi apanhado furtando ovos.
- Quanta desdita!
- Pois é, foi julgado e condenado.
- E daí?
- Ele foi enforcado!
- Meu Deus, tão somente pelos ovos?!
- Não, pelo pescoço!

(Foto: Google)

segunda-feira, 24 de março de 2014

A nossa Fortaleza


Sou nascido e criado em Fortaleza. Conheço a minha cidade desde quando ela tinha uns 600 mil habitantes e todos se reconheciam. Quando menino, brinquei muito na rua. Jogava bola, soltava arraia, passeava de bicicleta e circulava livremente por onde bem entendesse. Medo, só o de mordida de cachorro e olhe lá.

Andava de ônibus sozinho, comprava picolé fiado do velho doceiro Tapioca e atentava ao anúncio de “Vai doce americano!” do negão que vendia as coloridas (verde, rosa e branco) guloseimas.

Menino véi, quantas vezes fui sozinho ao Centro da cidade cortar o cabelo com o Seu Chicó, assistir filmes nos cines São Luiz e Diogo, merendar na Loja de Variedades, Lobrás, Miscelânea e Top's, comprar jornal do Rio na banca do Bodinho, do Paulinho, e os lia, ainda, nos bancos de ferro rebuscado, com alinhadas réguas de madeira, da Praça do Ferreira.

Na bodega do Milson, na Aldeota, perto da minha casa, nem conto as vezes que fui comprar chiclete, bombom ou tomar refrigerante.

Lembro demais do meu pai deixar o carro aberto, quer fosse estacionado na rua de casa ou perto do seu consultório, na Barão do Rio Branco com Liberato Barroso, para não esquentar muito.

Já adolescente, com a precoce turma de amigos, jogava sinuca no Campo do América e, de quebra, tomava umas amargas e geladas cervejas. Comprava cigarro, muitas vezes à retalho, e os guardava na meia para esconder de algum filão. Na época, era bonito fumar e beber.

Quando das tertúlias, eu voltava a pé pra casa, serenamente, pelo meio da rua. Ia dançar no Patinação e às festas em quase todos os clubes suburbanos da cidade. Ia às barracas da Praia do Futuro e aos cabarés da Rua Dragão do Mar e cercanias. Cansava de encerrar as puxadas noitadas no bar Sereia, do Deó, onde se tomava um excelente caldo de peixe.

Já na faculdade, eu frequentava vários bares da Gentilândia e comprava fiado e na palavra os livros do Seu Rodriguez, um livreiro espanhol merecedor de homenagem dos antigos estudantes de arquitetura da UFC.

Nesse tempo, a tranquilidade era tanta, chega, certa vez, depois de uma festa no início do Obá-Obá, lá pelas bandas então longínquas da Unifor, quando eu ia embora, o guardador de carro me gritou: “Ei, sua carteira tá em cima da capota do carro!” Em gesto de agradecimento, fui gratificá-lo e ele me disse: “Precisa não, você já me deu gorjeta”.

Até casar, eu morei na casa da Rua Tibúrcio Cavalcante, no quieto Bairro Aldeota, quando se ouvia o vendedor de carne, montado em seu cavalo, bater na caixa de madeira e anunciar: “Carne e figo!”. Também morei no duplex da Avenida Desembargador Moreira e no apartamento da esquina das ruas Silva Jataí com Visconde de Mauá, no Bairro Meireles, de onde se ouvia o apito dos navios e o brado dos pescadores de “Vai peixe fresco!”.

Pois é, sem ou com saudosismo, eu tenho a certeza de que Fortaleza ainda vai voltar a ser romântica, saudável e bem-aventurada. A sua inocência, perdida pelas patologias das cidades grandes, se Deus quiser, vai ser suprida pela maturidade de quem já viveu o bom e o ruim. Muitas coisas na vida são demasiadamente doídas, eu sei, mas, se inevitáveis, que nos sirvam de lição para amadurecermos a ideia de que o valor da vida está na sua boa qualidade. Afinal de contas, a gente veio ao mundo para ser feliz!

(Foto: Google)

Furto na Maraponga

No sossegado domingo do dia 16/03/2014, a Autoescola Bosco, da Maraponga, recebeu a visita de um velho amigo do alheio.

Sabedor que sua firma havia sido invadida e subtraída de valores, João Bosco Maia Martins dirigiu-se ao 8o.
Distrito Policial, onde prestou queixa e registrou um boletim de ocorrência. Ao apresentar as gravações do circuito interno de televisão da empresa, de pronto, as autoridades policiais identificaram o gatuno. Era Dondom de Solonópole, manjado malandro da região, famoso pela ousadia de, supostamente, ter surrupiado uma viatura do Ronda, quando, por sua imperícia ao volante, capotou várias vezes. 


No vídeo, Dondom exibia notáveis habilidades. Para se esquivar de algum provável sensor de segurança, adotava a postura de um gato. Para escalar as paredes, de felino, assumia o estilo lagartixa, daquelas que andam grudadas pelas paredes.

Bem, identificado, já na segunda-feira, a polícia foi bater na residência do meliante. A tática de abordagem era a de uma viatura pela frente da casa e outra pelos fundos. Flagrado dormindo o sono dos inocentes, em uma surrada e imunda rede vermelha – que era do Bosco e não lavada há pelo menos uns seis meses –, em arrojada evolução de trapezista circense, Dondom escapuliu pelo o quintal, mas, quando pulou o muro foi agarrado pelos guardas.


Detido, foi levado ao 8o. Distrito, onde confessou o delito. Do apanhado, a polícia ainda conseguiu reaver a descarga furada de uma moto e uma arranhada televisão de plasma. Dos 4 mil reais levados – 2 mil de uma gaveta arrombada, e os outros 2 de um porquinho de louça –, ele disse ter feito sua festa. Agora, mal sabia Dondom que a gaveta que ele não conseguiu arrombar continha 10 mil reais. Quanto a rede, bem, o Bosco a dispensou.


Curiosamente, quando Dondom foi preso, ele estava com a cabeleira encricalhadamente pretinha da silva, enquanto que no vídeo aparece bem lourinha. Aí, sua companheira justificou a razão: "Era pra livrar ele do fragrante".

Pois é, no mais, o Bosco não cansa de elogiar a eficiência da polícia e mangar do fuleiro Dondom.

Gestão Estratégica - 1ª Aula


 
Um corvo estava sentado em uma árvore o dia inteiro, sem fazer nada. Um pequeno coelho viu o corvo e perguntou:  

- Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro? 

O corvo respondeu: 

- Claro, por que não? 

O coelho sentou-se no chão, embaixo da árvore, e relaxou. De repente, uma raposa apareceu e comeu o coelho.

Conclusão: Para ficar sentado, sem fazer nada, você deve estar no topo.

O dia da extrema-unção

Tirada em 1989, esta foto registra uma "capotada" que o Carlinhos Papai deu em um acalorado churrasco, regado a muita bebida!

Inteiramente nocauteado, os amigos prepararam o corpo de Papai à moda velório de indigente para historiar aquele seu suave momento de quietude.

(Foto: Acervo Fernando Câmara)

Ivete


 Ivete Sangalo.

O nome Ivete provém do francês Yvette, feminino de Yves, versão francesa de Ivo, que provavelmente se origina do elemento germânico iv, que significa “teixo”, uma árvore de folhas tóxicas, muito utilizada durante a Idade Média na fabricação de arcos e flechas.

(Foto: Google)

domingo, 23 de março de 2014

Volpi, a emoção da cor


Estudantes de Arquitetura

Turma da Faculdade de Arquitetura, quando da viagem ao Congresso Brasileiro de Arquitetos, de 1979, em Brasília.
 
Da esquerda para direita. Em pé: Um popular, do lugar, Áureo Vasconcelos, Totonho Laprovítera, Marta Cidrack, Rosalinda Pinheiro, Eliana Braga, Gorete, Damião Lopes, Júlio Roberto, Magda Campelo, Eulálio Costa, Euler Muniz, Zico Braga, Regina Menescal, Pádua e Fred Flósculo. Agachados: Marcos Monteiro, Paulo Eduardo, Silvio Gurjão, Bernadete, Joãozinho Almeida, Aída Guedes, Enéas e Artur Novais.

(Foto: Acervo Paulo Eduardo Nóbrega)

Nudez


Nu artístico é como se denomina a mostra do corpo de uma pessoa sem vestimentas, em diversas expressões artísticas (pintura, escultura, cine e fotografia). 

Sobre nudez, as opiniões variam de acordo com as religiões. No cristianismo, por exemplo, a nudez é associada ao pecado original. No judaísmo a nudez não é considerada pecado. No islão, as roupas são consideradas proteção contra o mal. 


Concluindo, a nudez depende de localização espacial e temporal. Pode ir de extremos como no caso da ausência de aparatos ou proteção de genitálias, até o caso das religiões que consideram mulheres sem véu protetor como nuas.

(Foto: Google)

sábado, 22 de março de 2014

Miss Lene

Lançada pela gravadora CBS, em 1978, Miss Lene (Frankislene Ribeiro Freitas) é uma cantora cearense que fez o maior sucesso com músicas do gênero discothèque, no Brasil. Quem É Ele? e Deixa Música Tocar sacudiam os bailes e discotecas por todo o País.

Antes de fazer carreira como cantora "disco", Miss Lene formava dupla com a irmã Lena, em Fortaleza. Lena e Leda se apresentavam no programa Show do Mercantil, comandado por Augusto Borges, que era levado ao ar pela extinta TV Ceará Canal 2. Leda faleceu no Rio de Janeiro, em acidente automobilístico.

No auge da música disco brasileira, Miss Lene, que conheceu o sucesso aos 15 anos de idade, era autorizada pela cantora Tina Charles para cantar versões de suas músicas no Brasil. Devido à semelhança física com Tina, a gravadora promoveu um encontro entre as duas, quando a própria Tina considerou as suas vozes bem parecidas.

Em suas apresentações, costumava vestir macacão e touca prateados. Frequentemente, participava dos principais programas da televisão brasileira, como o do Sílvio Santos, Carlos Imperial, Chacrinha, Bolinha e Aérton Perlingeiro.

Com a decadência do gênero discothèque, Miss Lene sumiu do cenário musical. Casou-se com um empresário suíço e foi morar na Europa, onde é mãe de dois filhos e é dona de uma casa de espetáculos, a Miss Lene Show. De quando em vez, para atender aos pedidos de fãs, ela sobe ao palco e, com a voz ainda afinada, canta músicas de Ivete Sangalo. Diz estar saudosa do seu público e se emociona ao falar da carreira, sobretudo quando lembra dos fãs.

(Fotos: Google)

Artefuneral


A maquiagem dos mortos para a visualização pelos vivos durante um funeral com caixão aberto, tem a intenção de fazer com que o falecido apareça como ele era em vida. Os profissionais do tal ofício, geralmente, recebem treinamento formal em cosmetologia ou ciência mortuária.

Pois bem, falando nisso, fui a um velório de um amigo, onde me encontrei com o João Bosco Maia Martins. À beira do caixão, observamos o quanto o finado estava bem maquiado. Seu semblante, de uma serenidade eterna, fazia com que o desenho bem delineado da boca esboçasse um leve sorriso. A pele, uma porcelana. Trabalho, certamente, de um exímio necro-maquiador.

- Bosco, como nosso amigo ficou bem. Comentei.
- Parece até que tá dormindo, Totonho.
- Parece mesmo...
- Totonho...
- Diga, Bosco.
- Eu acho que ele devia ter chamado esse maquiador era quando estava vivo...
- Por que?
- É que ele morto tá com uma aparência bem melhor do que a de quando estava vivo...

sexta-feira, 21 de março de 2014

Os dias 21 de Luís VXI

Quando criança, o rei da França Luís XVI foi avisado por um astrólogo para sempre se resguardar no 21º dia de cada mês.
Temeroso com o aviso, Luís decidiu nunca fazer negócios neste dia. Infelizmente, ele não estava sempre acautelado e, em 21 de junho de 1791, após a revolução francesa, o monarca e sua rainha foram presos em Varennes, enquanto tentavam evadir da França.
Em 21 de setembro de 1791, a França aboliu a realeza, proclamou-se república e, em 21 de janeiro de 1793, o rei Luís XVI foi executado na guilhotina.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Cabelão


Aconteceu ano passado, no povoado de Zundão dos Camilos, na zona rural do município de União, a 61 km de Teresina. Grávida pôs à venda seu cabelo de 1,40 m para comprar enxoval de bebê.

A cabeleira de Rosilene, 21, parecia um manto, pois a altura dela é de 1,58m e já lhe causou alguns problemas. Quando foi casar ela teve de aparar 10 cm das madeixas para entrar numa boa na igreja. "Estavam quase arrastando no chão e eu podia tropeçar neles dai mandei aparar", contou.
Não sabemos se ela conseguiu vender os cabelos.

(Foto: Efrém Ribeiro)

Idioma alienígena


Hoje, recebi uma ligação de um serviço de telemarketing, que não entendi quase nada. É que o cidadão pronunciava um sotaque carregado, enrolando a língua de um jeito, chega parecia falar um idioma alienígena. 

Arre égua...

quarta-feira, 19 de março de 2014

Valente, o cão farejador

Essa quem contou foi meu amigo Marcos Falcão.

 

Em um avião, um homem estava sentado à janela quando chegou outro, sentou na poltrona do corredor, e acomodou um lindo cachorro na poltrona do meio.

O cara que estava sentado do lado da janela olhou para o cachorro com certo receio e perguntou:

- Por que permitiram ao senhor embarcar com esse cachorro?

O dono do cachorro explicou que era agente da Polícia Federal - PF, lotado no esquadrão de combate às drogas e que o cachorro era o melhor farejador da equipe. Informou, ainda, que o nome do animal era Valente e caso tivesse interesse, quando o avião decolasse, ele mostraria as habilidades do cão colocando-o para trabalhar em pleno voo.

Quando o avião decolou, o agente falou:

- Veja isso! - E ordenou para Valente: Busca!

Valente pulou da poltrona, andou pelo corredor e, finalmente, sentou determinado ao lado de uma mulher por alguns instantes. Em seguida, Valente voltou para seu assento e colocou uma pata no braço do agente, que falou:

- Bom menino!

E virou para o outro passageiro e disse:

- A mulher está carregando maconha. Vou anotar o assento dela e as autoridades irão prendê-la quando aterrissarmos. Ele não é maravilhoso? Mas, ainda não acabou... Busca!
 
Valente saiu novamente pelo corredor e sentou ao lado de um homem, durante alguns segundos. Retornou ao seu assento e colocou duas patas no braço do Agente da PF.

O agente falou:

- Aquele homem está de posse de cocaína. Vou anotar seu assento e comunicarei às autoridades para as devidas providências.

O cara da janela, maravilhado com o cachorro, assistiu mais uma vez o agente ordenar que Valente fizesse nova busca. Valente saiu pelo corredor, sentou por alguns instantes e voltou correndo para sua poltrona. Deu um uivo agudo e começou a defecar todo o assento.

O cara da janela, realmente espantado com o comportamento do cão, ficou sem entender como e por que um animal tão bem treinado estava se comportando daquela maneira.

Perguntou ao agente:

- O que está acontecendo com ele?

E o agente, sem conseguir disfarçar o nervosismo, respondeu:

- Ele acabou de encontrar uma bomba... 


(Foto: Google)

Evaldo Gouveia no Cantinho do Frango


Academia Brasileira de Letras

Membros da Academia Brasileira de Letras, no ano de 1897.

Em pé: Rodolfo Amoedo, Artur Azevedo, Inglês de Sousa, Olavo Bilac, José Veríssimo, Sousa Bandeira, Filinto de Almeida, Guimarães Passos, Valentim Magalhães, Rodolfo Bernadelli, Rodrigo Octavio, Heitor Peixoto. Sentados: João Ribeiro, Machado de Assis, Lúcio de Mendonça e Silva Ramos.

(Foto: Google)

Encoxada


Ao ser encoxada na lotada e animada festa funk do Busão da Floresta, no Bairro Álvaro Weyne, a simpática Gillenysia mandou para o ereto atrevido:

- Ô folgadão! Você tem 30 minutos pra sair daí, senão eu chamo o segurança!

(Imagem: Google)

terça-feira, 18 de março de 2014

Sensualidade

“No corpo da mulher contém beleza e sensualidade de uma escultura feita com todo cuidado pelas mãos de Deus, visando o mais belo presente á humanidade.” (Paulo Master)

A sensualidade é inocente e está nas curvas da paisagem feminina. É a disposição pelos prazeres dos sentidos, do amor das coisas ou qualidades sensíveis.
 
E no corpo intrigante da mulher, quem consegue captar a beleza de sua sutileza, encontra no prazer a sensualidade de suas formas em sentidos.
 
(Foto: Google)

segunda-feira, 17 de março de 2014

Raimundo Fagner & João Carlos Martins

O cantor e o maestro.

Hoje, no programa Roda Viva, da TV Cultura, às 22h, o maestro João Carlos Martins vai anunciar o seu mais recente projeto, em parceria com Raimundo Fagner.

No ano passado, os dois se apresentaram juntos no palco do Guadalajara, considerado o principal do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), com a Orquestra Jovem de Pernambuco.

(Foto: Google)

Arquitetura e Urbanismo 78.1

No pátio da faculdade.

Da esquerda para direira: Dina, Totonho, Thelma, Rosany, Artur, Rosalinda, Marcos, Bossa, Eliana, Airton, Solange e Rigoberto. Sentados no chão, Paulo Eduardo, Clélia e Mirtes.
Da turma, Lúcio Flávio, Cristina Romcy, Marta Cidrack, Beth Castelo Branco, Napoleão e Leônidas faltaram à foto.

(Foto: Acervo Paulo Eduardo Nóbrega)

Causa mortis


- Professor Carlinhos Analfabético, de que o diabo morreu?
- De diabetes.

domingo, 16 de março de 2014

Anúncio para usados

 "Anúncio da Aston Martin para carros usados.

'Você sabe que não é o primeiro, mas você realmente se importa com isto?'

A grande e desejada marca inglesa de automóveis Aston Martin veiculou na Inglaterra este criativo, inteligente e irônico anúncio, voltado para o publico masculino de alto poder aquisitivo, visando à venda de seus carros usados."
Enviado pelo Luciano Maia.

Como a Medicina da Doença funciona


Por Carlos Bayma*

Aos 30 anos, você tem uma depressãozinha, uma tristeza meio persistente: prescreve-se Fluoxetina. A Fluoxetina dificulta seu sono. Então, prescreve-se Clonazepam, o Rivotril da vida. O Clonazepam o deixa meio bobo ao acordar e reduz sua memória. Volta ao doutor. Ele nota que você aumentou de peso. Aí, prescreve Sibutramina.

A Sibutramina o faz perder uns quilinhos, mas lhe dá uma taquicardia incômoda. Novo retorno ao doutor. Além da taquicardia, ele nota que você, além da “batedeira” no coração, também está com a pressão alta. Então, prescreve-lhe Losartana e Atenolol, este último para reduzir sua taquicardia.

Você já está com 35 anos e toma: Fluoxetina, Clonazepam, Sibutramina, Losartana e Atenolol. E, aparentemente adequado, um “polivitamínicos” é prescrito. Como o doutor não entende nada de vitaminas e minerais, manda que você compre um “Polivitamínico de A a Z” da vida, que pra muito pouca coisa serve. Mas, na mídia, Luciano Huck disse que esse é ótimo. Você acreditou, e comprou. Lamento!

Já se vão R$ 350 por mês. Pode pesar no orçamento. O dinheiro a ser gasto em investimentos e lazer, escorre para o ralo da indústria farmacêutica. Você começa a ficar nervoso, preocupado e ansioso (apesar da Fluoxetina e do Clonazepam), pois as contas não batem no fim do mês. Começa a sentir dor de estômago e azia. Seu intestino fica “preso”. Vai a outro doutor. Prescrição: Omeprazol + Domperidona + Laxante “Natural”.

Os sintomas somem, mas só os sintomas, apesar da “escangalhação” que virou sua flora intestinal. Outras queixas aparecem. Dentre elas, uma é particularmente perturbadora: aos 37 anos, apenas, você não tem mais potência sexual. Além de estar “brochando” com frequência, tem pouquíssimo esperma e a libido está embaixo dos pés.

Para o doutor da medicina da doença, isso não é problema. Até manda você escolher o remédio: Sildanafil, Tadalafil, Lodenafil ou Vardenafil, escolha por pim-Pam-pum. Sua potência melhora, mas, como consequência, esses remédios dão uma tremenda dor de cabeça, palpitação, vermelhidão e coriza. Não há problema, o doutor aumenta a dose do Atenolol e passa uma Neosaldina para você tomar antes do sexo. Se precisar, instila um “remedinho” para seu corrimento nasal, que sobrecarrega seu coração.

Quando tudo parecia solucionado, aos 40 anos, você percebe que seus dentes estão apodrecendo e caindo. (Entre nós, é o antidepressivo). Tome grana pra gastar com o dentista. Nessa mesma época, outra constatação: sua memória está falhando bem mais que o habitual. Mais uma vez, para seu doutor, isso não é problema: Ginkgo Biloba é prescrito.

Nos exames de rotina, sua glicose está em 110 e seu colesterol em 220. Nas costas da folha de receituário, o doutor prescreve Metformina + Sinvastatina. “É para evitar Diabetes e Infarto”, diz o cuidador de sua saúde(?!).

Aos 40 e poucos anos, você já toma: Fluoxetina, Clonazepam, Losartana, Atenolol, Polivitamínico de A a Z, Omeprazol, Domperidona, Laxante “Natural”, Sildenafil, Vardenafil, Lodenafil ou Tadalafil, Neosaldina (ou “Neusa”, como chamam), Ginkgo Biloba, Metformina e Sinvastatina (convenhamos, isso está muito longe de ser saudável!). Mil reais por mês! E sem saúde!!!

Entretanto, você ainda continua deprimido, cansado e engordando. O doutor, de novo troca a Fluoxetina por Duloxetina, um antidepressivo “mais moderno”. Após dois meses você se sente melhor (ou um pouco “menos ruim”). Porém, outro contratempo surge: o novo antidepressivo o faz urinar demoradamente e com jato fraco. Passa a ser necessário levantar duas vezes à noite para urinar. Lá se foi seu sono, seu descanso extremamente necessário para sua saúde. Mas isso é fácil para seu doutor: ele prescreve Tansulosina, para ajudar na micção, o ato de urinar. Você melhora, realmente, contudo... Não ejacula mais. Não sai nada!

Vou parar por aqui. É deprimente. Isso não é medicina. Isso não é saúde.

Essa história termina com uma situação cada vez mais comum: a derrocada em bloco da sua saúde. Você está obeso, sem disposição, com sofrível ereção e memória e concentração deficientes. Diabético, hipertenso e com suspeita de câncer. Dentes: nem vou falar. O peso elevado arrebentou seu joelho (um doutor cogitou até colocar uma prótese)... Surge na sua cabeça a ideia maluca de procurar um cirurgião bariátrico, para “reduzir seu estômago” e um psicoterapeuta para cuidar de seu juízo destrambelhado é aconselhado.

Sem grana, triste, ansioso, deprimido, pensando em dar fim à sua minguada vida e... Doente, muito doente! Apesar dos “remédios” (ou por causa deles!).
 
A indústria farmacêutica? “Vai bem, obrigado!”, mais ainda com sua valiosa contribuição por anos ou décadas. E o seu doutor? “Bem, obrigado!”, graças à sua doença (ou à doença plantada passo-a-passo em sua vida).

PS: E fique sabendo que, alguns médicos ganham viagens ao exterior, hospedagem, alimentação, por conta dos laboratórios, portanto, quanto mais medicamentos eles indicarem, mais viagens receberão!  


(*) Transitando pelas áreas de Saúde Quântica, Psicossomática e Metafísica da Saúde, sem ter abandonado a formação original, o Dr. Carlos Bayma é médico com formação e título de especialista em Urologia,  pós-graduação em Urodinâmica e em Medicina da Longevidade Saudável.  

(Foto: Google)

Conquistador

Na balada do Vila União, um cabra metido a conquistador e cheio de si chegou para uma garota e deu-lhe um garfo.

- Para que o garfo? Ela perguntou.
- É por que eu to dando sopa.
- Mas, sopa se toma de colher.
- É que eu sou difícil...

sábado, 15 de março de 2014

Engatinhar ou gatinhar?


As duas palavras existem na língua portuguesa e estão corretas. A palavra engatinhar é mais utilizada no Brasil, enquanto gatinhar é mais em Portugal. 

Engatinhar ou gatinhar significa andar de gatinhas, de quatro.

(Foto: Google)

Circo


Desabonitado que só, o filho de Dona Emiliana, do Bairro Água Fria, pediu:

- Mamãe, mamãe, me leva no circo?!
- Não, meu filho... Quem quiser lhe ver, que venha até aqui, em casa...

sexta-feira, 14 de março de 2014

Gozo da alma


Gozo da alma
(Totonho Laprovitera)

Noite de lua,
branca rede armada no céu
Corpo moreno de mel:
linda mulher nua!

Sexo em flor,
cheiro forte de cio,
água clara de rio,
momento de amor!

Suspiros ao vento,
juras, carícias eternas...
e entre as pernas
prazeres em movimento

Beijos na calma,
sons do coração,
gemidos de tesão
no gozo da alma! 
(Ilustração: Google)

Fotografia

Os dois caminhos da vida, de Oscar Gustav Rejlander, em 1857.

Oscar Gustav Rejlander (1813-1875) foi um fotógrafo sueco radicado na Inglaterra. É considerado um dos pioneiros da fotografia artística na época victoriana.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Turma da Arquitetura

Tirada do baú, esta foto foi batida no pátio da Arquitetura da UFC, debaixo das mangueiras, no início dos anos 1980.

Da esquerda pra direita. Em pé: Zilsa, Misael, Heitor, Fred Barros e André Grieser. Sentados: Marta Romcy, Xará, Maria do Carmo, Professor Nearco Araújo, Regina Costa e Silva e Paulão. Agachados: Luiz Paulo, Isabel, Juscelino e Marcos. Sentado, à frente: Ismaelito.

(Foto: Acervo Zilsa Santiago)

Doméstica de primeira


"Prezado Totonho,

Estou bastante chateado, em razão da minha dedicada empregada ter anunciado que vai embora. O motivo é que só lhe interessa o emprego se for para dormir em casa e, como não tenho quarto de empregada, o jeito vai ser arrumar uma outra que não tenha esse tipo de exigência.

É uma pena, pois ela é muito trabalhadora e de confiança. No entanto, mando-lhe este vídeo para recomendá-la a quem estiver necessitando dos serviços profissionais de uma doméstica de primeira qualidade e que vai fazer muita falta aqui em casa.

Abraço,
Asclepíades Juremal"

quarta-feira, 12 de março de 2014

Mercedes Band

Mercedes Band, 1991.

Da esquerda pra direita: Erick Von Sohsten, Ricardo Pontes, Aparecida Silvino, Luís Miguel Caldas e Eugênio Stone.

(Foto: FB)

Companheiro


No motel de sempre, Albertinho estava com tanta pressa, chega nem demorou muito na namoração com a sua princesa.

- Mas, já, amor?
- Já. É que tenho um compromisso com a patroa, agora, cedo da noite.
- Puxa vida, amor, mas, a gente ainda ia fazer tanta coisa...

E ele, já subindo as calças e afivelando o cinto:

- Na próxima vez a gente se demora mais.
- Vixe, que o homem tá é avexado.
- Tô.
- Vem cá, amor, deixa eu lhe perguntar uma coisa...
- Pergunte...
- Quer dizer, amor, que nem o “companheiro” você vai querer hoje?

Aí, o avexado Albertinho arriou as calças e voltou pra cama.

terça-feira, 11 de março de 2014

Espelho

O Nélson Bezerra contou que dois amigos estavam no bar, quando um deles falou:

- Está vendo aqueles dois velhos bebendo na outra mesa?
- Estou, por que?
- Em uns vinte anos estaremos assim.

O outro olhou e disse:

- Cara, é melhor você parar de beber. Aquilo é um espelho, porra!