sábado, 31 de janeiro de 2015

Falsificación

Novo computador da "Apple".

Tem jeito não, hoje em dia estão falsificando tudo quanto é produto, principalmente aqueles que se tornam objetos de desejo.

(Foto: Google)

Seminu


Depois de ter sido correspondente no exterior pelo Jornal do Brasil, o jornalista Alexandre Garcia foi subsecretário de imprensa e porta-voz da Presidência da República por 18 meses, no início do governo do general João Figueiredo.

Foi demitido em 1980, após posar seminu para a revista Ele & Ela, deitado em uma cama e falando de sua vida sexual.

(Foto: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


Elzbieta Sobczynska (nome de solteira Gremblicka), 80, sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, foi registrada no campo com o número 85.536. Na foto de 7 de janeiro de 2015, ela posa para a foto de Varsóvia, na Polônia. Ela foi levada ao campo aos 10 anos, junto da família. Mas logo depois foram separados em grupos de mulheres, garotas e garotos.



Elzbieta guardou o relógio de seu pai, mantido por seu irmão enquanto eles estavam no acampamento. Ela diz que sua infância foi roubada e que perdeu a oportunidade de experimentar um tipo diferente de vida.


Fonte: Uol.
(Fotos: Kacper Pempel/Reuters)

A candidata

Valtim.

Era setembro, e Valtim viajava pelo interior. Numa pequena cidade, quando parou e desceu do carro para estirar as canelas, avistou o movimento da armação de um palanque. Era a preparação do comício de uma candidata que disputava a prefeitura da cidade. Pelos comentários, logo deu para perceber que sua liderança era tão grande quanto o preconceito dos machistas locais. Ficou sabendo que seu comportamento era bastante criticado pelos inimigos políticos. O povo falava que aquele era o comício da resposta. Afinal, ela não era do tipo de mulher que leva desaforo pra casa. Valtim, no bar, já se animando com as fofocas e com o rum com Coca, resolveu ficar para assistir a confusão. E foi confusão mesmo, principalmente quando, mais tarde, justamente no encerramento, ela esbravejou do palanque:

- Meus amigos, eu sei que estão metendo o pau em mim por trás!

A sua assessoria foi tentar contê-la, diante da perplexidade dos ouvintes, mas ela continuou com toda o gás:

- Mas não faz mal, são adversários covardes os que fazem isso comigo! Quero ver é se aqui tem algum macho pra meter o pau em mim é pela frente, que aí vocês vão ver eu gozando na cara dele!!!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Miss Linguiça


Notícias no chegam dando conta que a eleita Miss Linguiça 2014 terá editado neste 2015 um calendário adulto para açougueiros.

(Foto: Google)

Pen drive dental


A negada não tem mais o que inventar! Pois não é que fizeram agora um pen drive numa dentadura postiça, que saca quando se puxa os dois dentes da frente, ou seja, os incisivos.

(Foto: Acervo Claudio Henrique Santos)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Unha encravada


A unha do pé encravada é um bicho danado, pois acontece quando a beira da unha cresce e entra no couro do dedo, causando dor, vermelhidão e inchaço.

São sinônimos de unha encravada: onicocriptose, unha incarnada, avlusão da unha e excisão de matriz.

(Ilustração: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


Marian Majerowicz, 88, sobreviveu ao campo de concentração nazista de Auschwitz, na Polônia, onde foi registrado com o número 157.715. Na foto de 13 de janeiro, ele está em Varsóvia. Natural de Myszkow, Majerowicz foi enviado para o campo de concentração quando tinha 17 anos. No campo, ele encontrou seu pai, que lhe contou que sua mãe e seu irmão mais novo haviam sido mortos em câmaras de gás. Seu pai também não sobreviveu a guerra.

Fonte: Uol.
(Foto: Kacper Pempel/Reuters)

Recalque


O recalque denomina o mecanismo pelo qual o indivíduo busca excluir do seu consciente aspectos que avalia como inaceitáveis.

É um processo ativo no qual a pessoa tenta sustentar ao plano do inconsciente emoções, desejos, lembranças ou afetos passíveis de se conflitarem com a visão que tem de si próprio ou na sua relação com o mundo. 

Segundo Freud, essa estrutura nem sempre deve ser considerada uma patologia. O estado patológico é entendido quando a pulsão reprimida incide em gerar desprazer ao invés de prazer. 

Devido a atributos como baixa autoestima, isolamento, timidez ou autopunição, o termo "recalcada" é utilizado comumente para indicar uma pessoa invejosa ou reprimida, muitas vezes como forma de insulto.

Falando nisso, reparem só a conversa entre duas comadres:

- Ali é recalcada!
- Pois é, mulher, aquela ali se ilude achando que é o que não é e nunca será...
- E não é nada, mas acha que é tudo, melhor do que todo mundo... 
- A última cocada da face da terra... 
- Mesmo sendo uma fuleragem... 
- Acha os outros ridículos, sendo que ela é muito mais ridícula! 
- É uma doente, invejosa que só... 
- Ali quer tudo que você tem! 
- Pense num olho gordo! 
- E só vive querendo derrubar quem tiver na frente dela...
- Mas, a mim não consegue, porque sou igual a gato: caio, mas caio em pé! 
- E é só criticando o povo...
- E é porque não sabe fazer nada, mas acha que é tudo! 
- E se considera melhor do que todo mundo... 
- Vive achando os outros ridículos, mas ela é muito mais ridícula!
- Invejosa, ambiciosa, falsa, traidora, mentirosa...
- É, só sabe mentir e fazer a vida dos outros um inferno...
- É uma mal-amada, que se acha e só quer ser as pregas! 
- Pensa que é o máximo, mas não é absolutamente nada! 
- Morre de inveja dos outros!
- Até mesmo gostando, só pra se sentir melhor, desmerece os outros...
- Falsa...
- Sei não, é uma reprimida... 
- Mal resolvida na vida... 
- Uma pessoa que não sabe direito o que quer, que ainda não se encontrou... 
- Quer saber de uma coisa?
- O que? 
- Não vamos mais perder nosso tempo falando dela, não... 
- É, você tem razão. Não vale a pena, não...

(Foto: Google)

Quentura medonha


Deu na revista Climatologia Geográfica que as 5 cidades mais quentes do Brasil são: Palma, Tocantins; Corumbá, Mato Grosso do Sul; Teresina, Piaui; Cuiabá, Mato Grosso; e Carolina, Maranhão.

Sobre o assunto, repasso um trecho de uma carta que recebi de uma amiga que mora numa cálida cidade do sertão cearense.

“Totonho, não sei se foi por causa do calor que está fazendo por aqui, não, mas, lá em casa a quentura tá tão medonha, chega as pás do ventilador de teto do meu quarto derreteram!”

(Foto: Acervo Mônica Chicuta)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O poliglota Bosco

video

É notório que uma das maiores aptidões que o multilíngue Bosco Martins possui é a capacidade de dominar idiomas, notadamente, o inglês.

Excelente poliglota, Bosco domina inglês, espanhol, francês, italiano, mandarim e a língua do pê.

Trama


Diz-se trama, o enredo de uma novela ou filme, feito para dar sentido nas ações e criar emoção no espectador. 

Na tecelagem, trama é o entrelaçamento de fios horizontais e transversais, para formar um tecido.

(Foto: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


A sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz Eva Fahidi, 90, segura foto de sua família, que foi morta no campo durante a Segunda Guerra Mundial. Na foto de 12 de janeiro, Fahidi está em Budapeste, Hungria. Ela tinha 18 anos em 1944 quando foi levada junto da família da cidade húngara de Debrecen até Auschwitz-Birkenau.

Fonte: Uol.
(Foto: Laszlo Balogh/Reuters)

Interesseira


Pense numa menina interesseira, a namorada que o Mourinha arranjou!

Pois é, quando ele falou que tinha 2 milhões no banco, a oferecida já se entregou para ir à casa dele. Mas, lá chegando, sofreu a decepção!

Na verdade, Mourinha não mentiu, nem, muito menos omitiu coisíssima nenhuma. Os milhões eram grandes milhos (Zea mays) que repousavam sobre um banco de sentar, de matéria plástica, posicionado num encardido canto de parede de sua modesta morada. 

(Foto: Google)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Mona Lisa, de Leonardo da Vinci

Leonardo Da Vinci - Mona Lisa - 1503/1506 - OSM - 77 x 53 cm.

Considerada uma das mais populares pinturas do artista renascentista Leonardo da Vinci (1452-1519), Mona Lisa foi retratada entre os anos de 1503 e 1506. Também conhecida como Gioconda, ela é uma pintura em óleo sobre madeira de álamo e encontra-se exposta no Museu do Louvre, em Paris. 

Sobre a identidade de Mona Lisa existe um grande mistério. Estudiosos da história da arte aventam algumas hipóteses. Poderia ser uma imagem idealizada de mulher, pintada pelo artista; um autorretrato de Leonardo da Vinci, vestido de mulher; e a mais aceita no momento, de que Mona Lisa era Lisa Del Giocondo, esposa do rico comerciante italiano Francesco del Giocondo.

Karolina e Renatim

Bosco, entre Karolina e Renatim.

A novidade é que, no mundo do show business alencarino, o criativo Bosco Martins, agora produtor artístico, está fechando a contratação da dupla romântica Karolina e Renatim, para uma apresentação musical no Point Lauro Maia.

Bosco aposta na indústria do entretenimento, investindo em diversos segmentos que abrangem as artes na esquina do Vaval. 

(Foto: Kaká Luna)

Chanteuse bohème


Como diriam os boêmios parisienses, de Montmartre, "Vaval est un chanteur des plus raffinée chansons", ou seja, Vaval é um cantor das mais refinadas canções.

Pois é, com a nobre simplicidade que lhe é de aristocrático berço, o bem-nascido Olival vem apresentando o seu natural talento na arte de cantar, em diversas línguas, com a simplicidade das mais raras aves canoras. 

Para tanto, afirma seu amigo Bosco: “Olival tá enfrentando uma rigorosa dieta à base de alpiste. Agora, ele tem que ter cuidado e prestar atenção é nas baladeiras e espingardas de chumbinho”.

(Foto: Kaká Luna)

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Botero

Fernando Botero.

Nascido em Medellín, Fernando Botero Angulo (1932) é um artista colombiano de estilo inconfundível. Suas obras destacam-se pelas figuras rotundas que observam o sedentarismo da humanidade e cumprem uma crítica social quanto à ganância do ser humano.

Nos anos 1950, Botero estudou em Madri, onde expôs aos mestres espanhóis o seu interesse por arte pré-colombiana, colonial espanhola e pelos temas políticos do muralista mexicano Diego Rivera. Sua primeira exposição ocorreu em 1951, em Bogotá, mas a sua formação iniciou em 1953, quando ingressou na Academia de San Marco, em Florença. 

Fernando Botero - O viúvo - 1968 - OST - 190,5 x 195,5 cm.

Botero se lançou ao mundo com a releitura da famosa obra de Jan van Eyck, O Casal Arnolfini, em seu quadro dominavam as formas redondas, assim como fez com a famosa Mona Lisa de Leonardo da Vinci. 

Praça Botero, Medelin, Colombia.

Para a cidade de Medellín, sua terra natal, Botero doou 23 esculturas, onde estão expostas em praça pública, que foi renomeada com o nome do artista. 

(Fotos: Google)

Fagner e a fera


Além das artes e do futebol, Fagner nutre uma grande paixão por animais, sobretudo por seus cães. Negão, de saudosa memória, até já figurou em encarte de um de seus discos. E tem mais: tem a Malina, o Popó, a Catita, a Princesa e por aí vai, em infinitas ninhadas... Malina é famosa (até na televisão por Xuxa foi citada) e impossível. Aviso: para ela se requer atenção e cuidados redobrados. Inesperadamente, ela pode, com seus afagos nada ortodoxos, pregar monumentais sustos aos incautos visitantes. Popó, agora o chefe do grupo, era um cãozinho frágil. Depois da partida do Negão, a natureza o brindou com a força da vida e atualmente é um belo e vigoroso cão. Quando novinho, para fazê-lo sobreviver foi preciso concedê-lo forçosamente uma das tetas de sua mãe. Falando em mãe, Catita hoje em dia é uma. Deu a luz a três lindos rebentos. Princesa vive em Orós e faz jus ao seu nome.

Bem, mas deixemos um pouco todos esses detalhes pra lá. O curioso é que Fagner, quando criança, foi atacado e mordido por um cachorro. Por conta dessa mordida, levou várias injeções na barriga. Daí, nada mais natural para ele do que o medo desses animais. Pois bem, vou contar como Fagner superou esse medo.

Antes de possuir sua casa de praia, Fagner hospedava-se num hotel em Beberibe, onde habitualmente reservava três chalés. Um para ele e os outros para receber seus convidados. Os chalés tinham entrada privativa e independente à principal do hotel. Ela se fazia através de um grande terreno que tinha como guardião um feroz cão. Esse cão, de ferocidade inigualável, quando solto, fazia qualquer ser, por mais destemido que fosse, desistir da ideia de por lá passar.

Aconteceu o seguinte. Fagner, voltando ao hotel, não me recordo se do bar do Zé Maria ou da Galega, resolveu por fim à sua fobia. Numa atitude de coragem, meteu-se na jaula da fera e pôs-se a conversar com ela, cara a cara, afagando a sua cabeça e conquistando-a, franciscanamente. Para a surpresa de todos, a fera rendeu-se ao intrépido ato de carinho e, desde então, Negão tornou-se seu animal de estimação.

Estavam lá, de prova: eu, Wiron, Falcão e Facó – aquele que dizem ter marcado o primeiro gol do PV, o Estádio Presidente Vargas.

(Foto: Acervo Raimundo Fagner)

domingo, 25 de janeiro de 2015

Sobreviventes de Auschwitz


Jadwiga Bogucka (nome de solteira Regulska), 89, sobreviveu ao campo de concentração nazista de Auschwitz, na Polônia, onde foi registrada sob o número 86.356. Na foto, de 12 de janeiro de 2015, ela está em Varsóvia. Em agosto de 1944, aos 19 anos, ela e sua mãe foram enviadas ao campo de concentração de Pruszkow e dias depois para Auschwitz-Birkenau. Pelo menos 1,5 milhão de pessoas, a maioria judeus, morreram nos campos de concentração nazistas, que se tornaram símbolo dos horrores do Holocausto e da Segunda Guerra Mundial. Em 2015 comemora-se o 70º aniversário da libertação de Auschwitz.


Jadwiga segura foto dela de 1944, quando tinha 19 anos, em Varsóvia, Polônia, ano em que foi enviada ao campo de concentração nazista. O acampamento foi desmantelado por tropas do Exército soviético em 27 de janeiro de 1945, e culminou na libertação de cerca de 200 mil prisioneiros, a maioria judeus.

Fonte: Uol.
(Fotos: Kacper Pempel/Reuters)

Suplementos


Os suplementos, em sua maioria, são vitaminas, minerais e aminoácidos que complementam a alimentação. 

Os suplementos são importantes para pessoas com carências nutricionais e também para praticantes de atividade física obterem um melhor desempenho ou repor perdas nutricionais durante essa prática. 



Os suplementos, que não substituem uma alimentação saudável, terão um melhor resultado se associados com hábitos de vida saudáveis. 

Os suplementos, necessários no dia a dia, devem ter prescrição médica ou de nutricionistas. 

(Foto: Google)

Antonio Marcos

Vanusa, Fagner, Antônio Luiz, Antonio Marcos e Xororó.

Mais do que um livro, a vida de Antonio Marcos dá um filme e tanto. 

O cantor jogou muita bola no Batistão, um senhor campo de peladas que a família Batista tinha na Praia do Futuro, em Fortaleza. Lá, pelos anos 1970, sempre acompanhado da sua Vanusa à beira do campo, jogava no ataque do time do Fagner.

Duas hilárias curiosidades: 

1. Em uma das peladas, o beque Beto Fuleiro ficou incumbido de marcar Antonio Marcos. Ao final do primeiro tempo, comentou com os companheiros: “Moçada, é incrível. O homem sua, sua, e não fede!” 

2. Cá, velozmente, Antonio Marcos abiscoitou uma amizade “de infância” com o espirituoso Sandoval, mas, em São Paulo, “Toninho” negou ao novo amigo uma simples volta em sua Ferrari amarela que fazia o maior sucesso, na época.

Afeito a uma loira, Antonio Marcos passeou muito pela “desposada do sol”, desbravando mesas de sinuca em bares nunca dantes navegados pela artística boemia alencarina. Deixou muitas histórias por aqui, em Fortaleza.

(Foto: Revista JP)

Aves do céu

Totonho Laprovitera – Ave 11 – 2014 – AST – 40 x 50 cm.

Uma criança desenhava compulsivamente na memória das folhas de seus cadernos escolares. Daí, espreitado pela voracidade de seu risco, em rápidos e singulares traços passou a desenhar as aves que visitavam a sua inspiração. Passadas dezenas de estações, então, ela despertou para a história que sua arte ansiava em contar.

Totonho Laprovitera – Ave 17– 2014 – AST – 40 x 50 cm.

Há muito, quando o tempo era concebido de forma cíclica ou em espiral e significava a imagem de repetidas passagens na natureza, como os movimentos dos astros, a reprodução dos animais e o período fértil das mulheres, as aves simbolizavam o mundo de cima. Gente e outros bichos viviam ao chão. Plantados, diferentes habitantes dos covis da terra.

Totonho Laprovitera – Ave 3 – 2014 – AST – 30 x 40 cm.

Em ritos de luz e sons agrestes, os alados catavam o seu diálogo com os deuses. E, singrando espelhos, acreditavam que se comunicavam com os mundos e seres sobrenaturais, assim, criando o lugar propício para embrenharem-se às coisas míticas.

Totonho Laprovitera – Ave 4 – 2014 – AST – 30 x 40 cm.

Bebendo nepentes e sob o efeito inalado das plantas poderosas, uma criatura tornou-se ser de luz e acendeu os diversos mundos para permitirem o juízo de todos os mortais. Transformou-se em ave de rapina, de vistoso bico e ornada plumagem. Tomou extraordinárias faculdades: alto voo, visão aguçada e destreza na caça.

Totonho Laprovitera – Ave 18 – 2014 – AST – 40 x 50 cm.

Como grande passarinho, alçou diversos voos mágicos através do universo, empreendendo longas viagens. A metamorfose de suas linhas, então, passou a representar o incessante ciclo da vida, morte e renascimento, a que foram submetidos todos os seres.

Totonho Laprovitera – Ave 20 – 2014 – AST – 40 x 50 cm.

Assim, já adulta, a criança descobriu que a linguagem da arte do seu desenho tinha o poder de transformar humanos em aves e a coragem de voar em realização de sonhos.

Totonho Laprovitera

sábado, 24 de janeiro de 2015

Laura Enever


A surfista australiana Laura Enever, 22 anos, tem mais de 140 mil seguidores em seu Instagram.


Aí, surfa!

Cabeluda


Em Yunyang, na China, Cheng Shiqun há 16 anos não corta o cabelo, que já mede 2,5 metros. 

(Foto: Google)

Os brutos também amam


À porta do motel, jumentos marcam o tempo de amar de meia em meia hora. 

(Foto: WS)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Sinceridade

video

Como diria Oscar Wilde, "Pouca sinceridade é uma coisa perigosa, e muita sinceridade é absolutamente fatal".

(Vídeo: WS)

Olhar


"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos." (Antoine de Saint-Exupéry)

De guitarrista a contrabaixista

Herman, já no contrabaixo, acompanhando Fagner em show na PUC-Rj , em 1978.

Certa vez, Herman Torres me contou que, na primeira metade dos anos 1970, ele era o guitarrista da banda de Fagner até chegar o Robertinho de Recife.

Pois é, quando Herman viu Robertinho tocar, de pronto, resolveu mudar de instrumento na formação da banda, tornando-se seu contrabaixista. 

(Foto: Acervo Herman Torres)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Receita de beleza


“Para ter lábios atraentes, diga palavras doces. Para ter olhos belos, procure ver o lado bom das pessoas. Para ter o corpo esguio, divida sua comida com os famintos. Para ter cabelos bonitos, deixe uma criança passar seus dedos por eles pelo menos uma vez ao dia. Para ter boa postura caminhe com a certeza de que nunca andará sozinha.” (Audrey Hepburn)

(Foto: Google)

Quadrigrafias


Basquete do Círculo Militar

Essa foi uma das melhores equipes de basquete do Círculo Militar de Fortaleza, nos anos 1970.

Da esquerda pra direita. Em pé: Benjamin, Rejão, Campainha, Netinho, Gugu, Ioche e Feola. Agachados: Germano, Paulinho, Davi, Mateus e Gogó.

(Foto: Acervo Mateus Silva)

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Espreguiçadeira


A tradicional cadeira de praia em madeira também é conhecida como espreguiçadeira.

Para o bom uso de uma espreguiçadeira, recomenda-se observar o cuidado com a sua ergonomia, levando-se em conta a qualidade, segurança e, principalmente, o conforto. 

(Foto: WS)

Pescaria


Em uma pescaria, muitas vezes, pega-se o peixe no peito e na raça!

(Foto: WS)

Recado na rádio

Osmilton

Conta Osmilton que seu pai viajou de São José da Lagoa Tapada até Sousa, no sertão paraibano, para comprar um jumento.

- Na estrada, a viagem atrasou porque a Rural em que papai andava, de uma vez só, furou o mangote, a colmeia do radiador e deu prego. Até achar um mecânico pra consertar a camioneta, demorou foi muito, mas, no meio da mormacenta tarde, depois de reparar as avarias, chegaram ao destino. Direto à sua missão, na feira da Lagoa dos Patos, papai logo encontrou o vendedor de jumentos, que era muito enrolado no emprego de negociar. Conversa vai, conversa vem, o dia escureceu e não fecharam negócio. Diante dos ajustes de alguns detalhes, a transação ficou de ser concluída na manhã do dia seguinte. Daí, papai foi até a Rádio Borborema pra mandar pra mãe o recado do adiamento da sua volta, assim transmitido pelo radialista: “Alô, Dona Maria, Seu José manda avisar que só vai voltar pra Sousa amanhã, porque ficou enganchado no negócio do jumento!”

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Apaixonado Osmilton

Osmilton.

Assim que chegou em Recife, Osmilton telefonou pra casa da namorada. A mãe dela, que não aprovava nem um pouco o engodo deles, atendeu e teve o maior prazer de dizer que a filha havia saído com o namorado. Daí, o apaixonado Osmilton perguntou: “Minha sogra, a senhora pode me dizer para onde fomos?”

(Foto: Google)

Classificado


Carnaval chegando...

(Foto: Google)

Chico Pio

Chico Pio.

Em meados da década de 1970, das antigas mesinhas da Beira Mar, eu já ouvia falar pelas brisas do Mucuripe de um cara que acontecia lá nas bandas do saudoso Bar do Anísio. Não tanto após, num show no Zé de Alencar, onde vários artistas se apresentavam – acho que era o da despedida do Canal 2 – ouvi um grito, seguido de assobios, pedindo por ele. Esse artista me causava curiosidade, lembro.

Tempos depois, nos encontramos e, numa saída com o Fagner e a turma toda, Naná Vasconcelos sugeriu a nossa parceria na arte da boa natureza de unir letra e música. Tornamo-nos parceiros.

Desse virtuoso compositor, hoje eu digo que ele é a sua própria arte. Quando abraça o violão, solta seu vozeirão, faz manar as mais variadas canções e dá até a impressão de ser fácil a faculdade de compor. Aprumado, se eleva aos sons, qual fera a cuidar do seu rebento. Todavia, simples e manso em seu ofício, constrói e desperta sentimentos! 

Pois bem, esse autêntico menestrel é o Chico Pio, amigo do peito e a quem digo: Tem artista que passa uma vida inteira tentando acontecer, o Chico acontece todos os dias!

(Foto: Totonho Laprovitera)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Simplesmente, Vaval

“Hohoho. Como é bom trabalhar.” (Vaval)

Faltou foi liga para o Vaval juntar o apurado da festa de aniversário da extraordinária dupla Carlos Eduardo (Kaká) e Markus Inrique (Marcão). É o Point Lauro Maia bombando, cada vez mais, no argentário roteiro cultural da próspera sociedade boêmia e musical fortalezense.

Aliás, no trato da pecúnia, Olival Benicio De Sampaio Sobrinho, o Vaval, traz a desenvoltura de um Rothschild, daquela família judia, com origem em Hamburgo, Alemanha, que estabeleceu uma dinastia bancária na Europa!

(Foto: Totonho Laprovitera)

Fagner e a pirataria


Aconteceu no final da década de 1990. Fagner e eu estávamos viajando a Orós, no Ceará, por ocasião de sua tradicional vaquejada. Saímos de Fortaleza na quinta e seguíamos viagem conversando sobre amenidades diversas, enquanto ouvíamos música.

Foi quando comentávamos a respeito da matéria apresentada no dia anterior pelo Jornal Nacional, sobre pirataria no mercado fonográfico, que nos ocorreu a ideia de passarmos pela cidade de São Miguel, no Rio Grande do Norte. Ora, lá iríamos rever grandes amigos e, ainda na sexta, chegaríamos a tempo da vaquejada em Orós. Mas, fiz uma ressalva:

- Concordo, desde que a gente pare agora na primeira bodega e tome uma cachaça. 
- Na hora. Concordou Fagner.

E eis que, em meio ao escaldante sol sertanejo, surgiu a bendita bodega. Paramos, esperamos a poeira passar e descemos do carro. Entramos pela acanhada porta do modesto e deserto estabelecimento. A porta era daquelas bem estreitas, da soleira alta e da verga baixa. Lá dentro, a escuridão era realçada pela causticante claridade que fazia fora. Um velho bodegueiro à pia lavava uns copos. Demos bom dia, e ele nos respondeu silenciosamente, balançando a cabeça enquanto nos fitava com o rabo do olho.

- Duas cachaças. Uníssonos pedimos.
- Pois não. Respondeu o bodegueiro.

E não é que enquanto ele nos servia, coincidentemente, para nossa surpresa, avistamos no canto do lugar uma caixa, tipo bodega de fogos, apinhada de CDs piratas. Bati no ombro do Fagner, ele riu e resolveu brincar com o bodegueiro:

- O senhor sabe que vender CD pirata dá cadeia? Rindo.
- Sei sim, meu senhor. Eu inté já pedi pro rapaz que deixou isso aqui pra levar isso embora daqui que eu num gosto de confusão, não! Com um riso amarelo e inocente se explicou o velhinho.

Tem mais gente besta, não...

domingo, 18 de janeiro de 2015

CD Chico Pio


Encontra-se anunciado no MercadoLivre o CD independente “Chico Pio”, de 1995, por apenas R$ 395,00. 

Pra quem gosta de boa música e de investir em raridades, está dada a dica.