sábado, 31 de dezembro de 2016

Erandy e Mozart


Em 1969, o Fortaleza montou uma das maiores duplas de ataque de sua história - Erandy e Mozart - e foi campeão cearense. 

(Foto: Acervo Erandy Pereira Montenegro)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A língua de Einstein


A famosa foto de Einstein dando língua foi tirada em 1951, na comemoração dos seus 72 anos.

A despeito da fama, Einstein era discreto que só, e, apesar de ter se tornado popular, não dava muito cabimento à imprensa, não.

Sobre a foto que ele aparece com a língua de fora, aconteceu desse jeito: Sentindo a maior gastura por causa da imprensa no pé dele, quando pediram que ele se abrisse, Einstein viu que ia ser fotografado e, peibufe, deu foi língua. O fotógrafo, que de besta não tinha nada, coisíssima nenhuma, aproveitou a chance e entrou para a história. 

(Foto: Google)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Continência


Na Idade Média, ao se apresentarem antes de uma batalha diante do seu soberano, os cavaleiros, vestidos de armaduras, eram obrigados a usar a ponta dos dedos da mão direita para levantar a viseira do elmo. 

Assim surgiu o gesto da continência.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

A Rádio Wlakie-Talkie


Quando éramos adolescentes, por volta de 1973, eu e o saudoso amigo Cristiano inventamos uma rádio alternativa que funcionava desse jeito: o pai dele, Dr. Glauco, que também era radioamador, possuía dois possantes walkie-talkies, que tinham o incrível alcance de comunicação entre si de uns quinhentos metros. Daí, eu ficava em meu quarto, lá em casa – a uma quadra do Náutico Atlético Cearense – e ele nas mesinhas da praia da AABB, onde entrevistávamos amigos, conhecidos e inominados transeuntes. 

Em nosso caseiro e improvisado estúdio, eu botava a música “Love's Theme”, do Barry White – nosso prefixo musical – pra tocar em uma radiola portátil Philips 610, com alguns efeitos sonoros obtidos através de um gravador de cassete portátil Philips EL 3302, e assim rolava o programa radiofônico. 

E éramos criativos que só, pois intercalávamos entre uma entrevista e outra os sucessos musicais nacionais e internacionais, além de incidirmos uma pitada de humor, imitando distintas figuras da cidade e assíduos frequentadores da Beira Mar de Fortaleza. 

Era uma brincadeira sadia em que, livres, leves e soltos, praticávamos a nossa inteligência criativa. 

Ô tempo bom!

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Bar Guerrera


Essa foto do Bar Guerrera nos anos 30, em Tortora, Província de Cosenza, Calábria, Itália, me faz cogitar: Terá sido do meu bisavô Giuseppe? 

Não sei, mas nesse 2017 eu vou até lá e pesquisarei sobre o assunto. 

(Foto: Google)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Vacinação


E o Dr. Costinha, no posto de saúde de sua cidade, trabalhava na campanha de vacinação contra a gripe.

- Bem, pela ficha, estou vendo que seu nome é José Ronaldo Santos.
- Yes, Doctor, mas dá para o senhor me chamar de Mayara? 
- Mayara?
- Yes, Mayara com ípsilon...
- Senhorita Mayara, vou lhe aplicar a vacina. 
- É injeção?
- Sim.
- Doctor, pelo amor de Deus!
- A senhorita tem medo de injeção?
- Não é bem medo, darling...

E, abaixando o short, apontou para a bochecha de uma das nádegas separadas pelo fio dental e continuou: - "Doctor, é que tenho próteses de silicone no bumbum..." 

domingo, 25 de dezembro de 2016

Edmilson e a boneca


Li a reportagem sobre um homem da cidade de Santa Quitéria que, desiludido após traição, mantém relação conjugal com uma boneca, de quem diz gostar porque “ela não reclama, nem pede dinheiro”. 

Pois bem, compondo o assunto, lembrei do amigo Edmilson que, em sua branda juventude, sentindo-se sem companhia para beber, fazia da varanda de casa seu bar, onde passou a dividir a mesa com a boneca Amiguinha, da sua irmã caçula. 

E era desse jeito: ele assentava a boneca em uma das cadeiras, abria uma cerveja bem gelada, enchia os copos, servia à ela, bebia o dele e depois de um tempo, perguntava: - “Amiguinha, vai ou não vai beber?”. Diante do encantado silêncio da amiga de matéria plástica, ele lhe tomava o copo, entornava a cerveja, passava a mão nos beiços e fuzilava: - “Você lá quer beber!”

sábado, 24 de dezembro de 2016

Leitura certificada


Acontece cada uma. 

Por muitos tido como grande iletrado, que duvido que o seja, uma carimbada figura foi ao lançamento do meu livro De Primeiro e, enquanto aguardava que eu autografasse o seu exemplar, solicitou: 

- Tontoim, depois do autrógafo, posso pedir outra coisa?
- Pode, sim. 
- Mas né pragora não, viu? 
- Tudo bem, peça.
- Dá pra me dar um certificado dizendo qu’eu li o livro? 
- Um certificado? 
- É, e se tiver d’eu pagar, eu pago como paguei o livro! 

Pois é, aí eu fiquei a refletir sobre o propósito da serventia do tal pedido.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Padre Pedro


Depois de passar um puxado final de semana em algum lugar do litoral-leste alencarino, guiando sua devotada viatura, o senhor Pedro Bezerra Nunes retornava na tarde de um sossegado domingo à Fortaleza, quando foi parado em um posto da Polícia Rodoviária. 

Solicitado pelo distinto policial, Pedro apresentou a sua vencida Carteira Nacional de Habilitação com retrato em que despontava a branca gola de sua preta camisa. Com eficiência, o policial deu “boa tarde”, conferiu os dados da carta, olhou para o calmo e calado motorista, tornou a mirar o documento e lhe perguntou:

- Por gentileza, para onde o senhor está indo?
- Fortaleza, meu filho. Respondeu. 
- Vai para a missa das seis?
- Sim, vou... (Surpreso).
- Então, pode ir sem pressa, Padre. 
- Deus lhe abençoe, meu filho...
- Amém!

E assim foi que o conspícuo Pedro Bezerra Nunes passou a ser chamado de “Padre Pedro”!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Processo


Um velho amigo meu ameaçou de me processar porque eu estaria contando umas “inverdades” sobre ele, ó? Aí eu disse que seria um caso inusitado no direito brasileiro, onde, simultaneamente, um único advogado acusaria e defenderia o mesmo réu!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Beth's Lanches


De primeiro, na maioria das sextas-feiras da década de 90, assim que chegava de Fortaleza em Sobral, eu ia direto ao Becco do Cotovelo, onde cortava o cabelo no Salão Cometa e emendava no embalo noturno da musical Beth's Lanches, do boa-praça Cícero Paiva. 

A Beth’s marcou época em Sobral quando, à noite, suas mesas eram postas no calçadão do Becco para receber seus clientes – jovens universitários, em sua maioria – que gostavam de música ao vivo e um bom papo noite adentro, com direito a “canja” do violão do Cícero.

(Foto: Tupinambá Marques)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

Natal, um Quadro Vivo


Por Sonia Nogueira. 

"Uma cena inusitada. Embaixo da árvore, na praça, o olhar fixou a cena por alguns minutos. Um senhor esquelético, só osso. A carne parecia que não existia sob a pele queimada. Varria o local. Tudo arrumadinho. Uma caixa, talvez contendo míseros mantimentos adquiridos com as moedas extraídas dos passantes, algumas molambos encardidos, uma criança de cara suja, uma mulher sorridente, um cachorro.

A mulher sorridente sim! Nunca vi mulher sorrir na miséria! Mulheres atiradas ao destino tem rosto áspero, olhar de ódio faiscando à uma simples palavra de desagrado. Mas vi-a sorrindo quando lhe atiraram uma cédula, eu não sei a quantia, seria talvez de uma quantia nunca recebida e daria para uma noite de Natal, uma só noite, que valia por uma noite apenas, mas valia. Amanhã o mesmo ódio se instalaria no rosto desengano com a vida.

Somente o cachorro criara carne e estava roliço. Na praça, os restos de comida jogados ao chão era banquete de qualidade para um vira-lata, pequenino ainda. 

Quase dez da noite, perigo iminente em qualquer praça, mesmo em bairro residencial. Ao redor casas iluminadas, cadeiras nos jardins, entram e saem amigos. Clima de festa.

A sobrinha desceu para pegar iguarias encomendadas, na confeiteira. O olhar deu um giro ao redor. Na quadra, se havia quadra de jogos, estava mal conservada; um carrinho de pipoqueiro, guarnecido por cadeado; rede elástica, onde crianças pulavam, aguardando o próximo desafio.

Observei uma lapinha artificial, na casa em frente, com luzes ofuscando, presentes caros, bolinhas coloridas imagens de santos e animais adorando o Jesus Menino.

Fixei o olhar na cena ao lado: uma lona velha cobria a pequena árvore contra o sereno da noite. O cachorro deitado olhando atento para sua dona, a criança, dormindo em molambos à luz de lamparina, luz que apaga as trevas, a fumaça para espantar mosquitos era como incenso ofertado ao Jesus Menino.

Mas estava lá, a lapinha, no desejo oculto, sem poder ou sofisticação. Foi aí, neste recurso natural, que vi por instinto, para não apagar e perpetuar a história, uma lapinha natural. Os pais sentados no chão, guardiões da filha, um cachorro, uma lamparina para espantar as trevas. Uma família á margem da sociedade, sem o colorido artificial dos festejos..

Pintei na mente, uma lapinha, era um quadro vivo no Natal.

Feliz Natal a todos." 

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

DE PRIMEIRO: Bora!

video

Lançamento do livro DE PRIMEIRO..., de Totonho Laprovitera, nesta quarta-feira, dia 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube. #deprimeiro

DE PRIMEIRO: Bora lá!

video

Sou grato aos amigos Alcimor Rocha Júnior, Amarílio Cavalcante, Assum Cláudio, Bete Dias Bezerra, Chambinho, Chiquinho Aragão, Ednardo, Falcão, Guto Benevides, Louro Maia, Luciano Szafir, Luiz Carlos (Qualé), Lucivane Fonseca, Olival Benício (Vaval), Paulo César Norões, Paulo Oliveira, Pompeu Vasconcelos, Raimundo Fagner, Regina Echeverria, Ricardo Bacelar, Ricardo Bezerra, Rossicléa, Sebastião Belmino, Sérgio Sá, Tom Cavalcante e Zeca Estrada, pela generosidade das chamadas para o lançamento do meu livro De Primeiro..., nesta quarta-feira, 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube. 

Bora lá!
#deprimeiro

DE PRIMEIRO: É hoje!

video

Lançamento do livro DE PRIMEIRO... , de Totonho Laprovitera.

Quarta-feira, 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube, Fortaleza-CE.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Diga aí, Raimundo Fagner!

video

Lançamento do livro DE PRIMEIRO... , de Totonho Laprovitera.

Quarta-feira, 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube, Fortaleza-CE.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Diga aí, Bete Dias Bezerra!

video

Lançamento do livro DE PRIMEIRO..., de Totonho Laprovitera, na quarta-feira do dia 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube, Fortaleza-CE. #deprimeiro

Diga aí, Louro Maia!

video

Lançamento do livro DE PRIMEIRO... , de Totonho Laprovitera.

Quarta-feira, 14/12/2016, a partir das 19:30h, no Ideal Clube, Fortaleza-CE.