terça-feira, 30 de maio de 2017

Na beira do mundo


Na Antiguidade, os navegadores acreditavam que o planeta era plano e que os mares se derramavam nos abismos de suas beiras, onde existiam dragões.

Contavam, também, que algumas penadas almas vagavam por aquelas bandas e que sereias levavam os incautos aos perigos de vida.

Pois é, “na beira do mundo existem dragões!” e assim cometi essa letra e o Chico Pio musicou:

Mulheres de preto, de boca escarlate,
um fogo que queima, que arde em brasa
Na beira do mundo existem dragões!

A nau que cruza os mares abertos
navega sem rumo e sem direção
Na beira do mundo existem dragões!

Sereias que cantam prazeres intensos
recusam espelhos, amores eternos
Na beira do mundo existem dragões!

As águas tão turvas revelam mistérios,
escondem segredos profundos do mar
Na beira do mundo existem dragões!

Na visão do horizonte o perigo existe,
movimenta o medo o risco de vida
Na beira do mundo existem dragões!

O ensaio da morte é o sono no escuro,
colorido e bonito é o sonho do céu
Na beira do mundo existem dragões!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Vida de rico


Se alguém acha que o megaempresário Olival Sampaio, o bom Vaval, repousa em sua esplêndida alcova quando diz que vai descer para o salão do aristocrático Point Lauro Maia, está redondamente enganado! 

Na realidade – poucos sabem disso – ele se encontra na confortável e anônima laje de sua residência, onde dispõe de tudo da melhor qualidade: bebidas importadas, comidas refinadas, charutos cubanos, música de rico e muita paz de espírito! Tudo isso na simplicidade de quem nasce endinheirado, cresce abastado e argentário continua! 

(Foto: Maninho)

domingo, 28 de maio de 2017

O pianista


Não faz muito tempo, em um restaurante, eu dividia uma mesa com amigos quando chegou um conhecido nosso que, de cara, não deixou mais ninguém falar. Visivelmente bebido, insistentemente, contava de sua estada nova-iorquina em que sobrevivia como músico profissional. 

Daí, apontamos o piano de cauda do estabelecimento e perguntamos se ele não queria tocar um pouco para nosso agrado. Na hora, ele topou e tome “New York, New York”, “Smile”, “As Time Goes By”, “My Way”... A cada final de interpretação, todos o festejavam. Na nossa mesa, em especial, apelávamos pelo aplauso seguido da seguinte advertência: - “Bora aplaudir, senão ele volta pra mesa!”

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Vida Compositora

video

Em descontraída gravação, Sérgio Sá registra "Vida Compositora", canção sua em parceria com Totonho Laprovitera.

VIDA COMPOSITORA

(Sérgio Sá / Totonho Laprovitera)

O silêncio das estrelas
em noites inacabadas
ilumina a esperança
das paixões adormecidas
Fruto da imaginação,
paraíso e perigos,
a delícia do maior pecado

Viver à sorte da poesia,
amar sem hora marcada
Sentir no cio o perfume
de praias enluaradas
No brilho do olhar frecheiro,
a porta da sedução
dos corações enfeitiçados

E no nascer do dia,
ao sol do pensamento,
a vida compositora
romântica anuncia
a raiz da criação:
Não se finge sentimento
pra fazer canção de amor!

terça-feira, 16 de maio de 2017

O macaco e o peixe


Foi Maninho, do Bairro Vila União, em Fortaleza, quem contou essa fábula.

Certa vez, na África, um macaco zanzava à beira de um rio, quando viu um peixe dentro d’água. Como ignorava a existência daquele animal, pensou que ele estivesse se afogando. 

Aí, o macaco pegou o peixe e ficou foi contente quando o notou se debatendo, achando que era de alegria por ter sido salvo. 

Logo depois, o peixe parou de se bulir, o macaco notou que ele estava morto e falou: - “Puxa vida, se eu tivesse chegado mais cedo!” 

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Fagner: Villa-Lobos Especial 130 Anos

video

Raimundo Fagner, no evento "Villa-Lobos Especial 130 Anos", no Centro de Música Carioca Athur da Távola, no Rio de Janeiro. 

video

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Sérgio Sá


Autor de mais de 300 canções, dentre as quais, gravadas por nomes importantes da MPB como Vanusa (“Sonhos de um Palhaço”, “Mudanças”), Fabio Jr (“O que que há”, “Eu me Rendo”), Simone (“Olho do Furacão”), Fafá de Belém “(Represa”, “Peixinho”), Jane Duboc (“Magia deste Momento”, “Se eu te pego de jeito), Roberto Carlos (“Como e possível?”), Chitãozinho e Xororó (“Pensando em minha Amada”) e Tim Maia (“O Vento e as Canções”), o cantor, compositor, instrumentista, arranjador e escritor cearense Sérgio Sá iniciou sua carreira com o nome de Paul Bryan, emplacando o sucesso "Listen" (1973) e “Don´t say good bye”, tema da novela “Cavalo de Aço” (1974).

segunda-feira, 8 de maio de 2017

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Belchior

video

Belchior, em seu auto-exílio no Uruguai, interpretando "Velha Roupa Colorida", de sua autoria, acompanhado pelo músico João Tavares Filho.

Vídeo gravado em 2011. 

Cena urbana


(Foto: Totonho Laprovitera)

quinta-feira, 4 de maio de 2017

terça-feira, 2 de maio de 2017

Cearenses na Guanabara


Início doa anos 70, foto de Adhemar Veneziano. Da esquerda pra direita: Jorge Melo, Cirino, Belchior, Fagner, Sérgio Costa, Luiz Fiuza e Fausto Nilo.

Exemplo único de cidade-estado real em toda história do Brasil, de 1960 a 1975, a Guanabara existiu onde hoje é o município do Rio de Janeiro. Em sua área, situou-se o antigo Distrito Federal. 

Em tupi, a palavra Guanabara, que se origina de guaná-pará, quer dizer “seio-mar”.

Cena urbana


(Foto: Totonho Laprovitera)

segunda-feira, 1 de maio de 2017