sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Fuleco?

Desgostoso, o mascote da Copa de 2014 anda afogando o seu descontentamento com o apelido Fuleco.

Não dá pra esconder a indignação popular em relação ao nome do mascote da Copa de 2014. Batizado de Fuleco, o simpático tatu-bola está sendo judiado, pois, no dicionário, Fuleco aparece como um apelido para aquilo que fica entre as partes das nádegas, conhecido também como ânus; variação de Fuleira, Fulera, Fuleragem, que são termos bastante conhecidos no Nordeste e que tem os seguintes significados: Coisa ruim, de baixa qualidade, inferior, fraco, incapaz, duvidoso... 

Ora, ora, marmenino!

Em tempo: Há quem diga que o autor do apelido seja o mesmo que idealizou o poster de Fortaleza para a Copa.

(Foto: Chiquinho Aragão)

Metades

Uma metade para um amor por inteiro.

Para presentear a sua amada cara-metade, o aposentado Argemiro Verenciano Sobrinho, 33, mandou fazer um carro-metade na oficina Preparadão, no Conjunto Palmeiras.

(Foto: Google)

Cozinha


Apesar da principal função de uma cozinha ser a de cozinhar, ela ainda pode ser o centro de outras atividades, tornando-se o ambiente onde a família come e, em alguns casos, o lugar mais achegado da casa para ela se reunir. 

(Foto: Google)

Feras do Sexo

Enquanto um inseto da família do bicho-folha permanece cinco meses ligado à fêmea após a cópula, o coelho não passa de um minuto para fazer sexo. 


Essas são umas das informações que podem ser conferidas na exposição Feras do Sexo, dedicada à reprodução no reino animal.

Fonte: Sexual Nature / Museu de História Natural de Londres.

Caranguejos

Lá pelos anos 70, lembro do fotógrafo Januário Garcia, no campo de peladas Batistão, em Fortaleza, comentar sobre o quanto deveria estar esfomeada a primeira pessoa que comeu um caranguejo. "Imaginar que dentro duma carcaça dessas encontra-se uma carne tão deliciosa, é um achado", dizia.

Caranguejos. 

Também conhecidos como uaçás, auçás e guaiás, os caranguejos são os crustáceos da infraordem Brachyura, distinguidos por terem o corpo completamente acastelado por uma carapaça, cinco pares de patas (pereópodes) rematadas em unhas pontudas, o primeiro dos quais normalmente transformado em fortes pinças e, geralmente, o abdômen diminuído e dobrado por baixo do cefalotórax. Os pleópodes se encontram na parte dobrada do abdômen e, nas fêmeas, são utilizados para proteção dos ovos. 

Catador de caranguejos. 

Na etimologia, caranguejo deriva do termo castelhano cangrejo.

(Fotos: Google)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Felipão na moleira!


Para o técnico Felipão, o jogador que quiser ser titular na Seleção não poderá tremer, senão, vai para o "banco" do Brasil!

(Foto: Google)

Pesadelo


video

Estudos revelam que, para controlar os pesadelos, novos tratamentos conseguem impedir que os sonhos ruins aconteçam ou até mudar seu conteúdo.

Kama Sutra

Se é que ainda tem quem não saiba, Kama Sutra é um clássico texto indiano acerca do comportamento sexual humano, largamente apreciado como o trabalho definitivo sobre amor na literatura sânscrita. 

Improvisado Kama Sutra moderno. 

Escrito por Vatsyayana, o texto é um breve resumo dos diversos trabalhos anteriores de uma cultura conhecida por Kama Shatra.

O pinto e a perereca

Sem palavras.

Arte!

Ao dar início ao meu processo criativo, desenhar e pintar sem saber o que, me dá muito prazer. É a poesia de idear na pintura figuras que se formam nas nuvens do céu da minha imaginação e desenhá-las, na ousadia de perpetuá-las. Ao invés de buscar a criação, é brincar de achá-la. Afinal de contas, a arte não me é apenas uma atividade. Ela é um sentimento lúdico de brincar a vida à sério.

video

Os meus trabalhos contam um pouco da minha realidade e muito dos meus sonhos. Neles, encontro preciosos significados existenciais. Com eles, me misturo e vivo o sentido do meu numinoso ofício de artista!

Totonho Laprovitera

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Dormir acompanhado

Em recente publicação, estudos médicos afirmam que dormir acompanhado diminui a qualidade do sono. 

Segundo eles, se dividir a cama é muito romântico, é também um goro no que diz respeito à saúde. 

Insônia, ronco, apneia, discórdias sobre a temperatura do ar-condicionado, horários para dormir e acordar, frequência de TV e aparelhos eletrônicos no quarto são os problemas alegados pelos casais que decidiram dormir separados. 

Formar o próprio espaço também é causa frequente para a separação de corpos. 

A propósito do histórico estudado, motivado antes por precisão do que por romantismo, dormir junto é um costume recente. Na época da Revolução Industrial, por exemplo, as pessoas se aglomeravam em pequenos espaços, sendo inevitável que os casais passassem a dividir o quarto. Em tempo anterior, enquanto os pobres dormiam todos no mesmo ambiente, os ricos dispunham de um quarto para cada ente. 

Pois é, tudo que abarca o sono é em alto grau particular. Do ponto de vista clínico, as pessoas deveriam dormir sozinhas, mas quem são os médicos para dizer como uma pessoa deve ou não dormir?

Excelsior Hotel


Inaugurado em 1931, o Excelsior Hotel foi o primeiro arranha-céu de Fortaleza. Pioneiro em  nível internacional do Nordeste, dizem que é o maior do mundo construído em alvenaria.

Os Coriscos

Anúncio de jornal, de 1931.

Atolado

E, de Curitiba, no Paraná, o Billy Mello nos envia uma foto do flagrante em que um componente de um grupo de pagode se alivia à beira da estrada.

Em tempo de atolar o ônibus...

(Foto: Google)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Harco para Cabo Verde

A Associação Harco, a Secretária da Cultura do Estado do Ceará (SECULT-CE) e o Conselho Regional de Engenharia (CREA-CE), convidam para a abertura da exposição "Harco para Cabo Verde", a ser realizada hoje (27/11/2012), às 19:30 h.


Local: Centro Cultural do CREA-CE - Rua Castro e Silva, 81 - Centro
Estacionamento livre - Rua Castro e Silva, 26

Neymar

E o leitor Raimundo da Hora, do Ancuri, em Itaitinga, nos pergunta: "Senhores, o que seria do Neymar se ele não soubesse jogar bola?"


Mas, que perguntinha mais difícil de responder, da Hora...

(Foto: Google)

Faustão

Como mudam de aparência as pessoas, ao longo dos anos.

Há quem diga que o senhor aí da foto seja o apresentador de televisão Fausto Silva, o Faustão?

(Foto: Google)

Iluminação


Segundo a design de interiores Rosy Katley, "para garantir aconchego e bem-estar no quarto de casal, é fundamental o acerto na escolha da iluminação".

(Foto: Google)

A força do amor

Diretamente de Curitiba, no Paraná, o Billy nos manda a foto abaixo, legendada! 

"Não existe tempo ruim pra quem ama!"

É, Billy, aí é amor até debaixo d'água!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Morre o Palhaço Trepinha

Aos 85 anos, faleceu hoje José Gomes de Sousa, o "Palhaço Trepinha". 


Natural de Bonito de Santa Fé, na Paraíba, de onde fugiu aos 12 anos, acompanhando um circo, o Palhaço Trepinha era conhecido por detestar piadas de baixo calão ou que possuíssem temática sexual. Costumava afirmar que sua paixão era trabalhar com crianças. 

Considerado o palhaço mais antigo em atividade no Estado, desde a década de 1970, Trepinha trabalhou no Theatro José de Alencar, tornando-se ícone do local.

Etiqueta

Etiqueta à mesa é a maneira como as pessoas se portam à ela, de modo a demonstrarem ser parte de um certo grupo social. Comumente, esses grupos são aqueles de predomínio social, político ou cultural. Atualmente, a etiqueta está menos rígida e bem mais flexível. 

Serviços Volantes. 

Sobre os tipos de serviços, lembremos de dois: os em que as pessoas sentam-se à mesa e os que ficam em pé. Já, o serviço volante é empregado quando o número de convidados é grande, logo, impossível sentá-los à mesa ou, ainda, para garantir a informalidade do evento. 

No entanto, é aconselhado providenciar cadeiras ou poltronas para acomodar senhoras e pessoas idosas. A mesa deve ser ajeitada com as travessas de iguarias antes que os convidados à elas se concentrem. 

Numa ponta da mesa posicionam-se os pratos empilhados, com a cautela que cada pilha contenha no máximo dez. Além disso, os talheres devem ser arrumados e quanto ao cardápio, recomenda-se a escolha de comidas que dispensem o uso de facas. Os guardanapos podem ser de papel. 

(Foto: Google)

Enchente


Em caso de enchente, a Defesa Civil recomenda que você apenas salve o que lhe for importante.

(Foto: Google)

Metrossexualidade


Sabemos que na cultura oriental há o Yin e o Yang e, pela própria natureza que os diferencia, a mulher é predominantemente Yin e o homem essencialmente Yang. Entretanto, os dois tem aspectos próprios e é esta influência mútua que os equilibra. 


Sobre a metrossexualidade, ela é um acontecimento recente que tem reconstruído o conceito tradicional do homem. De início, quando se ouvia o termo associava-se a aspectos relacionados com a sexualidade, por vezes interpretadas como sinônimo de viadagem. 


Bem, a metrossexualidade tem se manifestado na sociedade em constante evolução. É a insurreição do homem das metrópoles, que se diz moderno e com amor-próprio. Com ela, o típico estereótipo de macho está sendo desprezado, por isso eles não tem mais problemas em fazer a depilação ou de irem com assiduidade ao cabeleireiro, na manicure, numa esteticista para uma limpeza facial e de se sujeitar às massagens de relaxamento. 


Ser metrossexual é, mormente, uma atitude diferente perante a vida, entre outros aspectos um pouco distante do avaliado natural. Porém, um metrossexual é sensível, bem educado, cavalheiresco, urbano e ciente do seu lado feminino. 


O metrosexual dá o maior valor comprar, usar bons produtos de joalharia e relojoaria, e ter em seu armário de banho bons produtos de cosmética, perfumaria e higiene pessoal masculina, como cremes e revitalizantes para a pele. 


Preocupa-se com o seu físico e aparência, tem uma noção absoluta do poder da sua imagem e adora que reparem nele. 


Em alto grau, os homens metrossexuais são seguros quanto à sua sexualidade e não se sentem menos masculinos ou menos heterossexuais. 


Concluindo, neste novo milênio, muitos dos homens tem deixado de lado a brutalidade da machesa latina para aderir a atual e inteligente atitude metrossexual. 


(Fotos: Kaká Luna)

Alcides Gerardi: Palavras de amor


O cantor João Alcides Gerardi (1918-1978) nasceu em Porto Alegre, mas ainda criança mudou-se para o Rio de Janeiro. Trabalhou no comércio ao lado do pai até 1935, quando começou a carreira de cantor, como crooner numa orquestra de dancing.

Em 1939, participou do grupo Namorados ao Luar como vocalista. Nesse mesmo ano, realizou uma gravação particular do samba "Não faça vontade à ela", de Nélson Cavaquinho. Dois anos depois, formou o conjunto Os Três Marrecos, com Marília Batista e Henrique, irmão da cantora, de curta duração.

Em 1944, atuou como crooner da orquestra de danças de Simon Bountman e foi convidado para trabalhar na Rádio Transmissora. Seu primeiro disco comercial foi lançado pela Odeon em 1946, trazendo a música "Lourdes" (George Brasse e Mário Rossi). Três anos mais tarde foi contratado pela Rádio Tupi, onde permaneceu até 1953, quando foi para a disputada Rádio Nacional.

Gravou dezenas de discos, especialmente na Odeon e na CBS, e foi também letrista de canções como "Filha do Coronel" (com Irani de Oliveira), tendo parceiros como Ernani Campos e Othon Russo. Obteve grande êxito com gravações como as de "Antonico" (Ismael Silva), "Brotinho Maluco" (Aníbal Cruz), "Cabecinha no Ombro" (Paulo Borges), "Saudades do Passado", "Você Pensa", "Só Resta Lágrima", "Castelo de Areia" (Geraldo Jacques, Isaías Freitas e Meirinha), "E Eu Sem Maria" (Dorival Caymmi e Alcyr Pires Vermelho), entre outras. Alcides morreu por complicações decorrentes de um acidente de carro, quando voltava de um show pela Via Dutra.

Fonte: aC2b.

domingo, 25 de novembro de 2012

Sobre pum


No consultório médico:


- Doutor, o que é um pum e do que ele é feito?
- Um pum é um flato, do latim flatus, que significa sopro. É uma composição de gases muito variável, expelida pelo ânus. É formado por parte do ar que tragamos, que é quase só nitrogênio e dióxido de carbono, pois o organismo absorve o oxigênio, e gases resultantes das reações químicas entre ácido estomacal, fluidos intestinais e flora bacteriana. Ou seja, dióxido de carbono, hidrogênio e metano.
- Mas, doutor, o que faz os puns federem?
- O odor dos puns... Vamos chamá-los de peidos?
- Vamos.
- Pois bem, os peidos surgem de pequenas quantidades de sulfeto de hidrogênio - gás sulfídrico - e enxofre livre na mistura. Quanto mais abastada em enxofre for sua dieta, mais desses gases vão ser produzidos pelas bactérias no seu intestino e mais os seus peidos vão feder. Pratos como cebola, couve-flor e ovos são notórios por produzirem peidos fedidos. Feijão, por exemplo, produz grandes quantidades de peidos nem sempre fedidos.
- E por que eles fazem barulho?
- Os sons são causados pela vibração da abertura anal e dependem da velocidade da expulsão do gás e de quanto estreita for a abertura dos músculos do esfíncter anal.
- E quanto gás uma pessoa normal produz por dia?
- Em média, uma pessoa produz cerca de um litro de peido por dia, distribuído em cerca de 14 peidos diários.
- Doutor, e quanto tempo leva até que o peido chegue ao nariz de alguém?
- Isso depende das condições atmosféricas, umidade e velocidade do vento, além da distância entre as pessoas também.
- É verdade que algumas pessoas nunca peidam?
- Não, se elas estiverem vivas. Aliás, pessoas podem peidar até mesmo algumas horas depois de mortas.
- Doutor, homens peidam mais que mulheres?
- Mulheres peidam tanto quanto homens. O caso é que os homens tem mais orgulho disso.
- E em que parte do dia um gentleman está mais sujeito a peidar?
- Durante a manhã, quando estiver no banheiro. Isso é conhecido como “trovoada matinal”.
- Por que feijão faz as pessoas peidarem tanto?
- Um peido é mesmo só um arroto que saiu pelo lado errado?
- Não, a frase “arroto é um peido que subiu de elevador” é puro folclore. Arroto vem do estômago e tem composição química diferente de um peido. Peidos têm menos ar atmosférico e mais gases produzidos por bactérias.
- Para onde vão os peidos quando você segura eles?
- Eles simplesmente voltam para os intestinos e saem depois. Os peidos nunca são perdidos, são adiados.
- E é possível mesmo acender peidos?
- Claro que sim. Normalmente, os peidos contêm gases inflamáveis. Agora, colocar um peido em ignição é perigoso. Tanto a chama pode subir de volta para seu cólon, como a sua roupa e o que estiver ao redor pode pegar fogo. Cerca de 25% das pessoas que o fizeram queimaram as bordas e os cabelinhos do ânus.
- Doutor, por que as meninas não assumem seus peidos?
- Acho que você deveria dizer que somente algumas meninas não assumem seus peidos. A razão é cultural. Elas são ensinadas a pensar que peidar não é coisa que uma dama faça. É um grande erro pensar assim. Todas as pessoas praticam a emissão de gases anais.
- Cheirar peido deixa “chapado”?
- Desconheço agentes intoxicantes na flatulência.
- É possível enlatar um peido para uso posterior?
- Teoricamente sim, mas há uma série de problemas logísticos. É estranho gostar de peidar?
- Não, mas se a pessoa peida numa quantidade que lhe traz problemas, deve consultar um médico.
- De que cor é o peido?
- Via de regra, incolor, porque os gases que o constituem são incolores.
- Outras pessoas sentem mais o cheiro do peido do que o autor?
- O peido deveria cheirar tanto para quem o fez quanto para as pessoas que dele “desfrutam”. Mas quem fez leva vantagem pelo fato de que propeliu o ar para longe do seu corpo, numa direção oposta à do seu nariz. Ah, peidar contra o vento quebra essa vantagem.
- Doutor, por que quando solto um pum, minha pernas incham?
- Ao flatular, por acaso, a senhora já experimentou tirar as meias-calça?!


O sumiço de Belchior

Por Toim da Meruoca

Toim da Meruoca.

Domingo último, como de costume, eu me balançava na velha rede de solassol enquanto assistia ao Fantástico. Pois foi ANTES DO FIM, quando já ia desligando a televisão, que me deparei pelas ONDAS TROPICAIS com a derradeira reportagem dando conta do sumiço do cantor e compósitos Belchior.

Estranhei.

Belchior.

Hoje, na HORA DO ALMOÇO, pus-me a pensar com meus botões: Sendo APENAS UM RAPAZ LATINO-AMERICANO, A PALO SECO, estaria o grande Bel escapando da DIVINA COMÉDIA HUMANA? Ou seria apenas fuga de uma ALUCINAÇÃO por MEDO DEAVIÃO?

Em conversas PARALELAS, dizem tê-lo visto no MUCURIPE trajando uma VELHA ROUPA COLORIDA, TODO SUJO DE BATOM e tecendo COMENTÁRIOS A RESPEITO DE JOHN. Foi, quando identificado por uma FOTOGRAFIA 3×4, gritou: SAIA DO MEU CAMINHO que eu já to é vendo GALOS, NOITES E QUINTAIS! Vou fugir na minha nave ESPACIAL e me esconder do CLAMOR NO DESERTO, pra cantar aquela BALADA DO AMOR e ler meu ALMANAQUE em paz!

COMO NOSSOS PAIS diziam, tem gente BRINCANDO COM A VIDA. Não que seja coisa de RETÓRICA SENTIMENTAL, mas um SUJEITO DE SORTE não pode viver COMO O DIABO GOSTA, pensando “se a vida não bebe, eu BEBO POR ELA”.

É, vai ver que tudo isso tenha ocorrido a BEL PRAZER, talvez até por algum VÍCIO ELEGANTE, MEU CORDIAL BRASILEIRO. Afinal de contas, vivemos NUM PAÍS FELIZ e, sendo a VIDA CIGANA, devemos seguir o PEQUENO MAPA DO TEMPO em busca do PEQUENO PERFIL DE UM CIDADÃO COMUM.

No mais, ATÉ AMANHÃ, ou ATÉ MAIS VER, que eu vou pegar a RODAGEM e viver o DOCE MISTÉRIO DA VIDA, a qual não vim a PASSEIO!

Belchior do Dragão do Mar.

Nota do Blog: Belchior, que se diz chamar José Edson Carvalho, tem sido visto em todos os eventos que acontecem no Anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, onde alegra o público vendendo cerveja.

(Fotos: Zecaneto, Google e Marina Cavalcante)

No barbeiro

Diz o cabeleireiro Umberto Campanini, especialista em cortes masculinos do Salão Ritz, em São Paulo, que "Homens são mais descomplicados do que as mulheres, na hora de escolher um corte, e, na maioria das vezes, muito conservadores em relação a grandes mudanças". 

Geralmente, os homens são fiéis ao seu barbeiro ou cabeleireiro e buscam um corte prático que não dê muito trabalho no dia a dia. 

Agora, segundo o cabeleireiro Kátio Hylux, do Bairro Bom Jardim, em Fortaleza, "para compor um bom visual, além da roupa certa para cada ocasião, conta muitos pontos um bom corte de cabelo. Para ajudar a escolher o corte certo para cada tipo de rosto e personalidade, visite-me em meu salão Hora H". 

(Foto: Acervo Fernando Frota)

Casal combinando

Depois que o Ceará virou destino turístico internacional, seus habitantes tem é visto marmotas.


Nas praias, então, tem aparecido cada coisa esquisita...

(Foto: Google)

Pato Fu: Frevo Mulher


Pato Fu interpreta Frevo Mulher, de Zé Ramalho.

sábado, 24 de novembro de 2012

Viciados em celular

Estudos científicos apontam que viciados em celular não largam seus telefones.


Segundo a Uol, "com a popularização dos smartphones, está cada vez mais comum se deparar com pesquisas que apontam a dependência dos usuários em relação a seus telefones celulares. O vício já ganhou até nome: “nomofobia”, que é a angústia relacionada à possível perda do celular ou à incapacidade de ficar sem o aparelho por mais de um dia."

(Foto: Google)

Caçapas


A quem interessar possa, o Regulamento dos Esportes do Bilhar contém em seus anexos instruções para a construção dos gabaritos para caçapas de mesas de Sinuca, Sinuca Mista e Snooker.

(Foto: Google)

69 caprichado!


Para quem gosta de carro antigo tunado, veja só que beleza este Fusca 1969!

Micheline Cardoso: Made in Brazil



Clipe da música Made in Brasil, do CD Cascadura Samba, de Micheline Cardoso.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Pesadelo


Pesadelo é um sonho angustiante com sensação de peso torácico e dispneia, findando por um despertar sobressaltado ou agitado e com ansiedade. 

A sequência da hora de um pesadelo.

É uma perturbação qualitativa do sono (parasónia), na maioria das vezes de origem psicoafetiva, embora não seja desconsiderada a sua etiologia comicial. 

A palavra nightmare, que em língua inglesa significa "pesadelo", procede da história em que, há quatrocentos anos, um demônio (o incubus) chegava e sufocava as pessoas enquanto dormiam. 

A causa dos pesadelos são uma sequência de pensamentos contraproducentes que, quando guardados em grande escala, dominam os pensamentos no sono, em forma de imagens e sons gerados pelo cérebro.

(Fotos: Acervo Fernando Frota)