segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Amor ao próximo


"Deus te abençoe, cabeça de boi!"

E não é que Rosineyde resolveu frequentar uma igreja que abriram em sua vizinhança! Ora, virou devota de carteirinha e não perdia um culto! Porém, pelas ruas  do bairro, não tardou muito para correr a notícia de que ela estava de caso com um dos fervorosos fieis.

Suspeitando da situação, Acácio, esposo de Rosineyde, perguntou para ela sobre a suposta traição que estaria sofrendo. E comentou:

- Mô, só pode ser fofoca desse povo besta que não tem o que fazer...

Pelo silêncio da companheira, quebrado apenas pelo o estourar do plástico de bolinhas que ela debulhava, continuou:

- Até porque cê sempre garantiu que eu era o único e derradeiro amor da sua vida...

Rosineyde, na hora, com um amarelo sorriso pendurado em seus beiços, fechou os olhos, balançou a cabeça, rebolando os cabelos para trás, benzeu-se e rebateu:

- Desculpa, amor, mas Deus não mandou a gente amar o próximo?

(Foto: Google)

Nenhum comentário:

Postar um comentário