domingo, 7 de setembro de 2014

Grupo Clã

Da esquerda pra direita: Em pé: Joaquim Alves, José Stênio Lopes, Aluísio Medeiros, Antonio Martins Filho, Antonio Girão Barroso, Eduardo Campos, Artur Eduardo Benevides, João Clímaco Bezerra, Mozart Sorialno Aderaldo, Moreira Campos e Jairo Martins Bastos*. Sentados: Braga Montenegro, Inesila Montenegro*, Heldine Cortez Campos*, Alba Frota*, Lúcia Fernandes Martins e Fran Martins. (*) Não pertenciam ao Grupo.

O Grupo Clã foi um importante movimento literário ocorrido em Fortaleza, Ceará. Fundado em 1943, reuniu escritores da chamada Geração de 45 do Modernismo. 

Seus membros fundadores foram: Aluísio Medeiros (1918-1971), Antônio Girão Barroso (1914-1990), Antônio Martins Filho (1904-2002), Artur Eduardo Benevides (1923), Braga Montenegro (1907-1979), Eduardo Campos (1923-2007), Fran Martins (1913-1996), João Clímaco Bezerra (1913-2006), José Stênio Lopes (?-2010), Lúcia Fernandes Martins (1926-?), Milton Dias (1919-1994), Moreira Campos (1914-1994), Mozart Soriano Aderaldo (1917-1995) e Otacílio Colares (1918-1990)


Assim como a revista do Grupo, diversos livros foram publicados. Atualmente, muitos exemplares podem ser encontrados na biblioteca da Academia Cearense de Letras.


Sobre o Grupo Clã, escreveu Braga Montenegro: "Toda e qualquer atividade cultural que em nosso tempo se processa nesta província, ou tem a iniciativa, ou a cooperação, ou a participação dos escritores componentes deste grupo. Eles não fazem apenas a maior porção da literatura – do poema, da ficção, do ensaio – que daqui irradia pelo país inteiro e, já agora, com ampla repercussão no estrangeiro: eles fazem também a cátedra universitária; preservam, em companhia dos mestres de ontem – no plano da sociologia, das ciências econômicas e administrativas – uma tradição de cultura que nos é particularmente afeiçoada; preparam, enfim, a continuidade das letras, das ciências e das artes junto às gerações mais novas, integrando-as, assim, em nossa vocação humanística, prevenindo-lhes a formação contra os exageros tecnicistas”.

(Fotos: Google)

2 comentários:

  1. Recordar é viver.Tenho saudades de uma época que não vivi!

    ResponderExcluir
  2. Convivi com muitos, principalmente com Eduardo Campos e Milton Dias, que publiquei a primeira edição de "As Cunhãs", pela editora COMÉDIA CEARENSE.Outros foram meus pares no Conselho de Cultura...

    ResponderExcluir