segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Quimoeiros


Antigamente, quando Fortaleza não possuía esgotos, era comum em quase todas as residências, recolher os resíduos fecais em barris de madeira, conhecidos por quimoas, para depois despejá-los nas proximidades da praia.

A tarefa era feita pelos quimoeiros, que levavam na cabeça sua fétida carga e, por onde quer que passassem, era certo, todos fugiam deles.

Quando esgotados ou embriagados – o que não era raro, para poder encarar o serviço –, deixavam o barril nas calçadas ou no que lhes servisse de apoio. De onde quer que viessem, passavam defronte à Santa Casa, desciam o calçamento do velho gasômetro, rumo à praia, onde a fedorenta carga era rebolada ao mar. Depois de lavado o barril, o quimoeiro voltava pela antiga Rua Formosa, atual Rua Barão do Rio Branco.

Projetado por João Felipe, em 1911, o primeiro sistema de esgoto de Fortaleza funcionou a partir de 1927 e cobria apenas o pequeno centro da cidade.

(Foto: Google)

Nenhum comentário:

Postar um comentário