sexta-feira, 10 de junho de 2016

Libaneses no Ceará


Seu Fares foi visitar o irmão João Félix que morava em Feiticeiro, distrito de Jaguaribe, cidade vizinha à Orós, no interior do Ceará.

Seu João – que nunca aprendeu o português e esqueceu o árabe –, apesar de viver numa rede, ter a vida melhor do mundo e um monte de filhos, não era de querer papo com seu ninguém. 

O motivo da visita do Seu Fares era porque Seu João estava para morrer. Acompanhado do filho Fagner, chegou lá bem na hora do almoço e, somente no final da tarde, foi que os irmãos começaram a conversar: 

- Oi, Zé (Fares), os meninos tão querendo que eu vá morrer lá em Fortaleza. O que você acha?
- Home, morra aqui mesmo. Aqui é mais barato, tu não vai incomodar teus filhos, tu passou a vida aqui e não vai nem se sentir bem morrendo lá. 

Fagner, às cinco da tarde, naquele sol do sertão, deitado numa rede armada no alpendre, escutando a conversa, disparou: 

- O que tô fazendo aqui?!

De família cristã, José Fares Haddad Lupus nasceu no Líbano. Quando preparava-se para imigrar para o Brasil, testemunhou o pai ser assassinado na guerra fratricida do país. 

Atormentado por frequentes pesadelos, ia às lágrimas quando assistia ao noticiário sobre o Líbano na TV. Mesmo assim, jamais quis visitar a terra de seus ascendentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário