quarta-feira, 3 de junho de 2015

Os irmãos Barbosa Teixeira

No final dos anos 1950 até meados dos 1960, três irmãos se destacaram no basquetebol cearense: Chico, Keké e Zé Flávio. Nesse período, ganharam diversos títulos estaduais, regionais e muito prestígio. 


Chico Barbosa.

Chico era considerado um jogador de nível nacional, chegou a vestir a camisa da Seleção Brasileira. Foi vice-campeão brasileiro adulto. Na época, esteve até para jogar pelo Corínthians, em São Paulo, à convite de Wlamir Marques, estrela da equipe paulista. Decidiu morar nos Estados Unidos, onde jogou e foi o primeiro não norte-americano a ser capa da revista Life, por sua notável atuação no circuito universitário do basquetebol estadunidense.

Keké.

Keké com a bola na mão, mesmo de longe, era a certeza de chuá! Até dizem que, num evento em Crateús, para tirar partido de sua habilidade em função da sua equipe estar pregada (em razão de uma grande farra na noite anterior), inventaram uma nova regra do jogo para salvar o time e assim surgiu, pela primeira vez, uma cesta de três pontos. Foi vice-campeão brasileiro adulto.

De mão certeira, era um cestinha de precisão cirúrgica! Cursou medicina e virou o Dr. Geraldo Sérgio, cirurgião plástico, craque em seu ofício.


Zé Flávio.

Inteligentemente criativo, Zé Flávio era genial. Com apenas 1,60m de altura, se agigantava quando entrava em quadra. Jogava produtivo para a equipe e bonito para o público, que delirava com suas jogadas mirabolantes. Jogou pela Seleção Brasileira juvenil e foi vice-campeão brasileiro adulto. Advogado e jornalista, foi vereador e grande técnico de basquete.

Raimundinho.

Porém, existiu um quarto irmão: Raimundinho! Embora não tenha se tornado tão famoso quanto os três, foi o único a conquistar títulos nacionais: Tricampeão Brasileiro Juvenil, em 1954, 1955 e 1956.


Campeões brasileiros juvenil.

(Fotos: Acervo Walquiria Teixeira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário